PUBLICIDADE
Topo

Gilmar Mendes: Pagamos um preço muito alto com a 'favelização' das cidades

Do UOL, em São Paulo

08/04/2020 17h35Atualizada em 08/04/2020 17h54

A "favelização" das cidades é um dos fatores que atrapalham o Brasil no combate ao novo coronavírus, segundo o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Gilmar Mendes. Ele se referiu à desigualdade social como "algo chocante" e disse que a percepção da necessidade de mudança será um legado positivo da pandemia.

"Nós romantizamos demais a coisa da favela. Estamos pagando um preço muito alto com essa favelização das cidades. Como prescrever o afastamento de pessoas que moram numa casa de três, quatro metros quadrados? É realmente chocante o que nós nos permitimos", lamentou o ministro em entrevista ao UOL.

Mendes ainda exaltou o SUS (Sistema Único de Saúde), alguns governadores e até o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB-SP), por seu papel na luta contra a pandemia, mas criticou a demora com que algumas ações foram tomadas.

Como exemplo, ele citou o auxílio emergencial a trabalhadores informais, autônomos e em contrato intermitente. "Veja a dificuldade para liberar esses R$ 600. Tudo isso é altamente constrangedor. O Brasil precisa mudar isso, nós temos que melhorar muito a nossa governança", avaliou.

Para o ministro, é preciso trabalhar com essa parcela mais vulnerável da sociedade, chegando a essas pessoas a partir de campanhas para melhorar o saneamento e solucionar problemas de moradia. Assim, concluiu, o Brasil conseguirá "encerrar esse ciclo que nos deixa com vergonha".

Coronavírus