PUBLICIDADE
Topo

STJ ordena investigação de vazamento em operação contra Witzel

Governador do Rio, Wilson Witzel (PSC), deverá ser ouvido pela Polícia Federal nos próximos dias - Divulgação - ASCOM/GOVERNO DO RIO DE JANEIRO
Governador do Rio, Wilson Witzel (PSC), deverá ser ouvido pela Polícia Federal nos próximos dias Imagem: Divulgação - ASCOM/GOVERNO DO RIO DE JANEIRO

Do UOL, em São Paulo

27/05/2020 09h58

O ministro Benedito Gonçalves, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ordenou hoje ao Ministério Público Federal a apuração de um suposto vazamento de diligências na operação realizada ontem no Rio de Janeiro e que tem entre os alvos o governador Wilson Witzel (PSC).

Gonçalves afirma ser necessário responsabilizar penalmente o autor do vazamento, caso seja confirmado.

A Operação Placebo cumpriu ontem mandados de busca e apreensão nos palácios Guanabara e das Laranjeiras, sede do governo e residência oficial do governador, respectivamente. Foram levados celulares e computadores de Witzel e da mulher dele, Helena Witzel.

Suspeito de chefiar estrutura ligada a supostas fraudes em contratações emergenciais, Witzel falou em suposto vazamento da PF para deputados ligados a Jair Bolsonaro, criticou o que chamou de "ditadura de perseguição" e acusou a PF de engavetar o processo contra o senador Flávio Bolsonaro para protegê-lo.

Volte em instantes para mais informações.

Política