PUBLICIDADE
Topo

Política

Canais de fake news no YouTube receberam anúncios de estatais, diz jornal

Sites suspeitos de distribuir notícias falsas receberam 28.845 anúncios do governo federal entre 2017 e 2019 - CAIO ROCHA/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO
Sites suspeitos de distribuir notícias falsas receberam 28.845 anúncios do governo federal entre 2017 e 2019 Imagem: CAIO ROCHA/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em São Paulo

31/05/2020 08h27

Verbas publicitárias de empresas estatais foram destinadas a canais no YouTube que distribuem notícias falsas e defendem discursos antidemocráticos. Segundo dados obtidos pelo jornal "O Globo" pela Lei de Acesso à Informação, Petrobras e Eletrobras veicularam 28.845 anúncios nesses canais entre janeiro de 2017 e julho de 2019, período que abarca os governos de Michel Temer (MDB) e Jair Bolsonaro (sem partido).

Os proprietários de alguns desses canais são investigados no âmbito do inquérito das fake news. Eles foram alvo de mandados de busca e apreensão determinados pelo STF (Supremo Tribunal Federal) na semana passada.

Segundo o jornal, outra base de dados da Secom (Secretaria de Comunicação) da Presidência mostra que, em junho e agosto do ano passado, quase 400 mil anúncios do governo foram para 11 sites e canais que divulgam fake news e propagam ataques contra a democracia.

As empresas estatais e a Secom disseram ao jornal "o Globo" que não destinaram verbas para esses sites e canais em específico. Os anunciantes, porém, podem impedir que seus anúncios sejam veiculados em determinados endereços.

Política