PUBLICIDADE
Topo

Líder do PP defende centrão e diz: imputação de 'toma lá, dá cá' é injusta

Deputado Arthur Lira (AL) citou "governo de coalizão" e fez críticas à mídia - Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados
Deputado Arthur Lira (AL) citou "governo de coalizão" e fez críticas à mídia Imagem: Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados

Do UOL, em São Paulo

03/06/2020 17h38

O deputado federal Arthur Lira (PP-AL) defendeu hoje a atuação dos partidos do centrão junto ao governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Em entrevista à CNN Brasil, Lira criticou a imprensa e afirmou que governos "de coalizão" são comuns em diversos lugares.

"Alguns setores da mídia tentam vender, na realidade, o que a verdade não é. Governo de coalizão é uma coisa. Responsabilidade de participação em governos é extremamente comum no Brasil e no mundo. Você tem partidos que participam de governos estaduais e municipais de maneira tranquila", disse Lira.

"Mas como nós chegamos em um momento de muita turbulência, foi natural que parte da mídia tentasse vender a impressão de que os partidos estavam tentando isolar o presidente (da Câmara) Rodrigo Maia, que a gente estava deliberadamente soltando candidatura A ou B com antecedência. Ou o famoso 'toma lá, dá cá'", acrescentou.

Lira é líder do PP da Câmara, e ainda encabeça um bloco parlamentar que conta com PL, PSD, MDB, DEM, Solidariedade, PTB, Pros e Avante. Segundo o deputado, a proximidade das siglas com o governo Bolsonaro neste momento foi resultado de oferta de cargos.

"Os cargos já existem. Não foi criado cargo novo no governo federal", assegurou o deputado. "Podemos citar com tranquilidade que o DEM tinha indicado o Ministério da Saúde, o Ministério da Casa Civil e o Ministério da Agricultura. E tinha mais as duas presidências da casa. Os outros partidos de centro sempre estiveram juntos, participaram com lealdade das pautas do governo. Essa imputação de 'toma lá, dá cá' é muito injusta", completou.

Política