PUBLICIDADE
Topo

Joice é acusada de produzir fake news; deputada fala em diálogos forjados

Deputada Joice Hasselmann é acusada de fazer pedidos para a criação de perfis falsos nas redes sociais; ela nega - WAGNER PIRES/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Deputada Joice Hasselmann é acusada de fazer pedidos para a criação de perfis falsos nas redes sociais; ela nega Imagem: WAGNER PIRES/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em São Paulo

05/06/2020 14h20

A deputada federal Joice Hasselmann (PSL) foi acusada hoje por uma reportagem da CNN Brasil de produzir fake news com a criação de perfis falsos nas redes sociais. A matéria mostrou supostos áudios da parlamentar e declarações de supostos ex-funcionários e uma assessora de Joice. No Twitter, a deputada afirmou que as mensagens foram forjadas.

"Acabo de assistir à denúncia patética e mentirosa da CNN Brasil (a mando do governo) que usou montagens para simular conversas com 'assessores' meus. Na super denúncia aparecem dois 'assessores' mascarados, no escuro falando uma sequência de mentiras ensaiadas", respondeu Joice no Twitter.

Nos áudios atribuídos a Joice, ela supostamente aparece fazendo orientações sobre publicações citando as também deputadas federais Carla Zambelli (PSL) e Bia Kicis.

"Serviços que eram prestados para a Joice eram sempre montagem de vídeos e criação de narrativas, uma notícia falsa sem saber se era, de fato, verdadeira", diz um suposto ex-funcionário de Joice mostrado pela reportagem. "Teve uma época que ela pediu para a equipe toda fazer pelo menos cinco perfis em cada rede social", afirmou outra fonte.

Joice diz que "o assunto é requentado" e "os diálogos forjados". "Segurei até agora as informações, mas chegou a hora de publicizar. Demiti dois assessores que estavam infiltrados no meu gabinete por governistas roubando dados, gente que tinha acesso aos meus telefones. Peguei com a boca na botija", explicou a parlamentar.

Segundo Joice, ela já demitiu os funcionários em questão e chegou a levar dados deles à Polícia Federal e ao Ministério da Justiça. Ela afirma que desconfiou deles porque "começaram a apresentar padrão de vida não condizente com o que ganhavam".

Nos materiais apresentados pela CNN Brasil, há uma conversa de WhatsApp atribuída a Joice com uma funcionária dela à época. A deputada teria pedido uma campanha nas redes sociais a favor da sua candidatura para a prefeitura de São Paulo.

"Coloca todos perfis para trabalhar no Twitter fazendo comentários positivos sobre minha candidatura à prefeitura", escreveu Joice na mensagem atribuída a ela, para depois reclamar da pouca quantidade de perfis empenhados na tarefa. "Um perfil apenas? Falei para você fazer vários."

Em sua defesa, Joice ainda afirmou que pegou "assessores usando computadores do gabinete para espionar e fraudar informações". Segundo ela, se algum servidor seu usou dados falsos para criar contas em redes sociais, ela quer essa pessoa "na cadeia".

Zambelli vê "patifaria" e diz que processará Joice

A deputada Carla Zambelli, uma das citadas por Joice, disse também à CNN Brasil que processará Joice e que ela cometeu crime se pediu a criação de perfis com CPF falsos, como aponta a reportagem.

"É uma patifaria o que essa mulher está fazendo. Gabinete do ódio não existe na Presidência da República, está dentro do gabinete da Joice", disse Zambelli. "Já temos todos os procedimentos legais necessários para entrar com processo", acrescentou.

Zambelli acusa Joice de tirar de contexto uma fala dela no material que pediu para ser produzido à sua assessoria. "Completamente fora de contexto (a montagem). A gente precisa apresentar a verdade. Ela colocou um vídeo nas redes sociais dela tirando de contexto um áudio de nove segundos", argumentou a deputada.

"Criar CPF falso para criação de perfil, ainda que não fosse para fazer maldade, isso é crime, isso tem que ser investigado. Vou falar com meu advogado e a gente vai entrar na PGR (Procuradoria-Geral da República) contra essa mulher", garantiu Zambelli.

Política