PUBLICIDADE
Topo

STF manda quebrar sigilo bancário de 10 deputados e 1 senador bolsonaristas

Alexandre de Moraes, ministro do Supremo - Rosinei Coutinho/STF
Alexandre de Moraes, ministro do Supremo Imagem: Rosinei Coutinho/STF

Eduardo Militão

Do UOL, em Brasília

16/06/2020 16h57Atualizada em 16/06/2020 20h07

O ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), determinou hoje a quebra do sigilo bancário de dez deputados federais e um senador da base de apoio ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no Congresso.

A decisão foi no âmbito de um inquérito que investiga os atos antidemocráticos e visa apurar se os parlamentares financiaram as manifestações que pediam o fechamento do Congresso Nacional e do Supremo.

Os deputados atingidos pela medida são:

  • Bia Kicis (PSL-DF)
  • Carla Zambelli (PSL-SP)
  • Cabo Junio Amaral (PSL-MG)
  • Otoni de Paula (PSC-RJ)
  • Daniel Silveira (PSL-RJ)
  • Caroline de Toni (PSL-SC)
  • Alê Silva (PSL-MG)
  • General Girão (PSL-RN)
  • Guiga Peixoto (PSL-SP)
  • Aline Sleutjes (PSL-PR)

O senador é Arolde de Oliveira (PSD-RJ).

Além disso, investigadores relataram que também obtiveram a determinação de Moraes para quebras de sigilo fiscal e de comunicações, como emails, mensagens de celular e telefonemas, de investigados — no entanto, não souberam informar se políticos estavam nessa relação.

A Polícia Federal cumpriu na manhã de hoje 21 mandados de busca e apreensão em desfavor de aliados de Bolsonaro na Operação "Lume". Entre os alvos, estiveram Daniel Silveira e dirigentes do Aliança pelo Brasil — partido que o presidente da República tentar fundar desde que rompeu com o PSL — , blogueiros e youtubers de direita.

O procedimento investiga a origem de recursos e a estrutura de financiamento de grupos suspeitos de promoverem as manifestações de rua com pautas antidemocráticas. Foram mobilizados agentes da PF em cinco estados, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Maranhão e Santa Catarina, e no Distrito Federal.

Alvos

Entre 21 alvos da operação realizada hoje estão Luiz Felipe Belmonte e Sérgio Lima, respectivamente vice-presidente e marqueteiro do Aliança pelo Brasil. A informação foi confirmada ao UOL por Lima. Segundo ele, os policiais estiveram nesta manhã em endereços residenciais e comerciais.

Blogueiros e youtubers de direita também estão entre os investigados. Três deles foram identificados como Émerson Teixeira, mais conhecido como "professor opressor", Fernando Lisboa e "Ravox".

Pelas redes sociais, o deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) e o blogueiro Allan dos Santos, do site "Terça Livre", disseram que policiais federais estiveram em suas casas na manhã de hoje. Allan já foi alvo de busca e apreensão.

Silveira também afirmou hoje ter certeza de que os ataques com fogos de artifício direcionados ao STF no final de semana faziam parte do término de um "ato religioso" e que não pode ser generalizado.

Política