PUBLICIDADE
Topo

Política

'Acho que Guedes está firme', diz vice-presidente Hamilton Mourão

"Paulo Guedes tem resiliência necessária", disse o vice-presidente Hamilton Mourão - Andre Coelho/Folhapress
"Paulo Guedes tem resiliência necessária", disse o vice-presidente Hamilton Mourão Imagem: Andre Coelho/Folhapress

Do UOL, em São Paulo

26/08/2020 19h27

O vice-presidente Hamilton Mourão disse achar que o ministro da Economia, Paulo Guedes, continua firme mesmo depois que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) criticou a proposta apresentada para o Renda Brasil.

"Paulo Guedes tem resiliência necessária. Não estou acompanhando isso ai, não faz parte das minhas funções. Isso faz parte. Eu acho que o Guedes está firme. Ele é ministro do presidente Bolsonaro. Ele sempre repete isso aí", disse ele, em entrevista coletiva reproduzida pela CNN.

O Ministério da Economia negou hoje os rumores de uma convocação da imprensa para pedido de demissão do ministro Paulo Guedes. Segundo a assessoria de imprensa da pasta, Guedes "continua despachando normalmente" e está em videoconferência com secretários estaduais de Fazenda, conforme já previsto em sua agenda oficial.

Os rumores de um possível pedido de demissão de Guedes ganharam força no mercado após o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) criticar a proposta apresentada pelo ministro para o Renda Brasil, programa que substituirá o Bolsa Família e deve ser a marca social do governo.

O desenho apresentado na terça, em reunião no Palácio do Planalto, previa a revisão ou extinção de outros benefícios, como o abono salarial, o que foi rejeitado por Bolsonaro. Nesta quarta, o presidente avisou que não vai "tirar de pobres para dar a paupérrimos".

Entre integrantes da equipe econômica, já há a percepção de que o Renda Brasil vai acabar com alcance e valor "não tão diferente" do Bolsa Família, que atualmente paga em média R$ 190 a 14 milhões de famílias, diante das resistências do presidente em bancar a revisão dos programas considerados ineficientes e a necessidade de respeitar o teto de gastos (que limita o avanço das despesas à inflação).

Em viagem a Ipatinga (MG) nesta quarta, Bolsonaro admitiu que discorda do plano de Guedes, que inclui a revisão de outros benefícios, e avisou que não o enviará ao Congresso.

"Ontem discutimos a possível proposta do Renda Brasil. E eu falei 'está suspenso', vamos voltar a conversar. A proposta, como a equipe econômica apareceu para mim, não será enviada ao Parlamento. Não posso tirar de pobres para dar a paupérrimos. Não podemos fazer isso aí."

Política