PUBLICIDADE
Topo

Política

Flávio Bolsonaro rebate Witzel e diz que não indicou secretários no Rio

Filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) chamou Witzel de traidor, psicopata e mentiroso - UESLEI MARCELINO
Filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) chamou Witzel de traidor, psicopata e mentiroso Imagem: UESLEI MARCELINO

Do UOL, em São Paulo

31/08/2020 19h00

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos) rebateu as declarações do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), de que teria indicado dois secretários para a atual gestão do governo estadual. Em sua conta oficial no Twitter, o filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) chamou Witzel de traidor, psicopata e mentiroso.

Em entrevista para a CNN Brasil hoje, Witzel disse que Flávio Bolsonaro foi o responsável por indicar dois secretários para o governo do Rio.

"O secretário Leo Rodrigues, que é o secretário da Ciência e Tecnologia, ele foi indicado no início do governo pelo próprio Flávio Bolsonaro. Foi um acordo de que nós fizemos a fim de que os partidos participassem do nosso governo, principalmente o PSL, que era o partido ainda está no governo. Eu nomeei dois secretários por indicação do senador Flávio Bolsonaro".

Na última sexta-feira (28), Witzel foi afastado do cargo por 180 dias em decisão do ministro Benedito Gonçalves, do STJ. O afastamento foi determinado no âmbito da Operação Tris in Idem, um desdobramento da Operação Placebo, que investiga atos de corrupção em contratos públicos do governo do Rio de Janeiro.

A investigação aponta que a organização criminosa instalada no governo estadual a partir da eleição de Witzel se divide em três grupos que, sob a liderança de empresários, pagavam vantagens indevidas a agentes públicos. Os grupos teriam loteado as principais secretarias para beneficiar determinadas empresas.

Política