PUBLICIDADE
Topo

Política

Após STJ, hackers atingem sistemas do Ministério da Saúde e governo do DF

05.nov.2020 - Tela de computador do Ministério da Saúde mostra aviso de máquina foi criptografada após ataque hacker - Reprodução/UOL
05.nov.2020 - Tela de computador do Ministério da Saúde mostra aviso de máquina foi criptografada após ataque hacker Imagem: Reprodução/UOL

Antonio Temóteo e Eduardo Militão

Do UOL, em Brasília

05/11/2020 16h47Atualizada em 05/11/2020 18h51

Depois do STJ (Superior Tribunal de Justiça), ataques hackers atingiram os sistemas do Ministério da Saúde e da Secretaria de Economia do Governo do Distrito Federal (GDF). A Polícia Federal investiga se há relação da invasão cibernética no tribunal com os dois órgãos governamentais.

Na pasta comandada pelo ministro Eduardo Pazuelllo, ao menos uma parte dos computadores não pode ser acessada hoje. A reprodução da tela de um deles, obtida pelo UOL, mostra que foi feita a criptografia da máquina, que impede de ler os arquivos e pastas guardados no dispositivo.

Além disso, os servidores estão sem acesso às contas de correio eletrônico no ministério. O problema foi notado no início da manhã desta quinta-feira (5). "Estamos sem acesso à internet, linhas de telefone fixo e e-mails corporativos no Ministério da Saúde", disse a assessoria de imprensa da pasta.

Técnicos da pasta, ouvidos reservadamente pela reportagem, afirmaram que as máquinas estão danificadas com vírus e que se acredita em ataque de hackers. Oficialmente, porém, o Ministério da Saúde afirma que apura o caso. "A equipe técnica do Departamento de Informática do SUS (Datasus) investiga o que causou problema e trabalha para o restabelecimento do serviço, mas não há previsão para o retorno do sistema", disse a assessoria.

Por meio de uma nota, o Ministério da Saúde disse ter identificado a existência de vírus em algumas estações de trabalho e, por motivos de segurança, foi bloqueado o acesso à internet. Segundo o governo, até o momento, não há indícios de que o vírus seja uma tentativa de invasão, pois não houve danos à integridade dos dados.

Também nesta quinta, a Secretaria de Economia do GDF informou ter identificado uma tentativa de ataque hacker aos sistemas do governo. Por isso, tirou todos os servidores do ar até resolver o problema. O governo do DF afirma que não houve sequestros de dados.

No Superior Tribunal de Justiça, os servidores estão sem acesso a emails por medida de segurança, segundo apurou o UOL.

O ataque nas redes da corte provocou instabilidade e levou à suspensão de julgamentos, entre eles o de um recurso da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sobre o processo da Operação Lava Jato relacionado ao apartamento tríplex do Guarujá (SP).

A Polícia Federal informou hoje que instaurou inquérito policial para apurar a invasão dos computadores do tribunal. Segundo a PF, peritos já começaram o trabalho para analisar a extensão do ataque cibernético, identificar os invasores e definir de que forma poderão contornar os danos.

Diante do ataque sofrido pelo STJ, o STF (Supremo Tribunal Federal) informou que, apesar de não ter detectado qualquer anormalidade no sistema do tribunal, decidiu "enrijecer os protocolos de segurança" da corte.

Política