PUBLICIDADE
Topo

Política

Paraná deve ter toque de recolher pra tentar controlar pandemia de covid-19

Beto Preto está preocupado com a circulação das pessoas  - Divulgação Sesa
Beto Preto está preocupado com a circulação das pessoas Imagem: Divulgação Sesa

Colaboração para o UOL

01/12/2020 14h21

O governo do Estado do Paraná deve implementar um toque de recolher para tentar controlar a pandemia de covid-19. A informação foi confirmada pelo Secretário de Saúde, Beto Preto.

"É necessário que possamos interromper em alguns momentos a circulação de pessoas. Uma das hipóteses que está sendo colocada, a partir de hoje ou amanhã, é o toque de recolher. Há hipótese até de fechamento de praças, parques, e diminuição de festejos de Natal e Ano Novo por parte dos entes públicos", afirmou Beto em entrevista à RPC.

Beto também disse que o horário de recolher deve ser entre 23h e 5h. Mas o Governo do Paraná não confirmou ainda e disse que tudo ainda está sendo alinhando com os gestores municipais.

Beto também disse que os servidores públicos estaduais devem voltar a fazer home office.

"Queremos diminuir o trânsito de pessoas. É difícil falar em permanecer em casa depois de nove meses. Estamos encaminhando para um problema de 15 a 20 dias. Precisamos tentar mais uma vez o isolamento social, uso de máscara e principalmente o distanciamento", explicou Beto.

O Governo do Paraná também está preocupado com o atendimento nos hospitais. As cirurgias eletivas foram suspensas por 30 dias.

"Estamos trabalhando para ampliar leitos. Estamos negociando com os hospitais e vamos colocar mais leitos. Vamos ampliar ou garantir a transferência de pacientes. Se não fizermos o nosso dever de casa é muito possível que falte leito no hospital. E não é porque deixamos de ofertar, mas é porque a rede está no limite", afirmou Beto.

De acordo com boletim da Sesa (Secretaria de Estado da Saúde), o Paraná somou mais 56.156 casos e 628 mortes provocadas por covid-19 em novembro. Enquanto o número de mortes tiveram queda na comparação com outubro, a quantidade de casos dobrou.

Política