PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
4 meses

Lira critica oposição por apoio a Maia e diz faltar comprimido para memória

O deputado Arthur Lira (PP-AL) criticou a oposição por apoiar a chapa do atual presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) - Najara Araújo/Câmara dos Deputados
O deputado Arthur Lira (PP-AL) criticou a oposição por apoiar a chapa do atual presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) Imagem: Najara Araújo/Câmara dos Deputados

Eduardo Militão

Do UOL, em Brasília

18/12/2020 18h31

O pré-candidato à Presidência da Câmara e líder do PP, Arthur Lira (AL), criticou a oposição por integrar um bloco que lançará uma candidatura opositora a ele. O bloco tem 11 partidos, nos quais há 269 deputados, e foi costurado pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), adversário de Lira.

As críticas se estenderam ao próprio Maia e foram feitas na tribuna, minutos depois do anúncio do grupo para enfrentar Lira, o candidato do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

"Coerência é o que falta a muitos partidos de oposição e talvez também um comprimidozinho para a memória", ironizou o líder do PP.

Sem citar nomes, Lira afirmou que alguns partidos aderiram ao bloco de Maia sem apoio da maioria de seus liderados. "Muitos que assinaram hoje aí não têm maioria para ter feito anúncio de formação de bloco", afirmou o pré-candidato.

Dentro da oposição, Lira tem apoios velados e abertos, mas o fato de ele ser o candidato de Bolsonaro para presidir a Câmara retirou a esquerda de seu grupo, ao menos de modo formal.

Lira foi a favor da suspensão da votação sobre o pagamento do 13º do Bolsa Família, que quase foi aprovado hoje depois de uma briga entre Maia e Jair Bolsonaro. Segundo ele, porém, isso não significa ser subserviente ao presidente e ao governo, mas apenas buscava seguir as regras de plenário e não causar tumulto nos mercados financeiros.

Gestão de Maia é "ditadura", diz Lira

"A desfaçatez tem que ser combatida também e será", criticou. Segundo ele, a gestão de Maia é marcada por uma "ditadura" porque as relatorias de propostas não são feitas por rodízio. "Esta Casa precisa de voz. Esta Casa vive hoje uma ditadura de representatividade."

Ele ainda criticou o fato de não haver reuniões de líderes para definir a pauta de votações há várias semanas.

Nas redes sociais, Lira ironizou o bloco e perguntou quem é o candidato de Rodrigo Maia.

Apoiadores de Lira avaliam que ele possui o apoio de 190 deputados na disputa com o futuro candidato do bloco de Maia, que teria 267.

Política