PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

PDT pede interdição de Bolsonaro à PGR por condução da pandemia

Legenda alega que Bolsonaro não apresenta "capacidades mentais plenas para seguir como presidente" - Mateus Bonomi/AGIF/Estadão Conteúdo
Legenda alega que Bolsonaro não apresenta "capacidades mentais plenas para seguir como presidente" Imagem: Mateus Bonomi/AGIF/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

08/03/2021 12h36Atualizada em 08/03/2021 22h04

O PDT formalizou hoje um pedido ao procurador-geral da República, Augusto Aras, para que avalie a necessidade de interdição do presidente Jair Bolsonaro. O partido baseia o pedido na condução errática da pandemia de covid-19 pelo governo federal, alegando que Bolsonaro tem levado "o país ao abismo com as suas condutas negacionistas e obscurantistas em detrimento da ciência".

O documento é uma iniciativa do PDT, na figura do presidente nacional do partido, Carlos Lupi, e também do ex-candidato à presidência Ciro Gomes (PDT-CE). A legenda pede que Aras encaminhe a representação ao órgão ministerial competente para considerar a interdição do presidente.

O PDT lembra as falas recentes de Bolsonaro, que na semana passada voltou a questionar o isolamento social como forma de combate à covid-19, mesmo diante do iminente colapso dos sistemas de saúde de vários estados por conta do aumento da contaminação pelo coronavírus.

"Temos que enfrentar os nossos problemas. Chega de frescura, de mimimi. Vão ficar chorando até quando?", afirmou Bolsonaro, em fala reproduzida no documento, que também lembrou a repercussão internacional negativa da afirmação.

"Denota-se que o Senhor Jair Messias Bolsonaro, no ponto, não tem o discernimento necessário, nem tampouco capacidades mentais plenas para seguir como presidente, pois não se afigura crível que um presidente da República atue com a finalidade de conduzir a população à morte", diz a representação do PDT.

A legenda ainda lembra que o presidente não tem dado a devida importância à vacinação contra a covid-19, que caminha a passos lentos por causa da falta de disponibilidade de imunizantes no país. O documento diz que o governo federal "já recusou ofertas de empresas farmacêuticas interessadas em vender imunizantes ao Brasil."

A representação afirma que Bolsonaro faz "propaganda contra a saúde pública" ao propagar "notícias falsas e informações técnicas sem comprovação científica", além de promover o tratamento da covid-19 com medicamentos sem eficácia comprovada, como a cloroquina e agora o spray nasal, que é desenvolvido em Israel.

Em entrevista ao Brasil Urgente, na Band, Bolsonaro criticou o PDT: "É um partido que só atrapalha, não produz absolutamente nada".

Política