PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Tabata e PSOL acusam Kicis de incitar motim e pedem cassação da deputada

Presidente da CCJ, Bia Kicis incitou motim de PMs na BA em post no Twitter, excluído logo depois - Michel Jesus/Câmara dos Deputados
Presidente da CCJ, Bia Kicis incitou motim de PMs na BA em post no Twitter, excluído logo depois Imagem: Michel Jesus/Câmara dos Deputados

Do UOL, em São Paulo

30/03/2021 12h58Atualizada em 30/03/2021 17h57

A deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP) e três advogados — Felipe Gallo, Júlia Oliveira e Renan Freitas — entraram com uma representação no Conselho de Ética contra a também deputada Bia Kicis (PSL-SP) por quebra de decoro parlamentar. Tabata acusa Kicis de incitar um motim de PMs na Bahia.

A bancada do PSOL também informou ter entrado com uma representação pedindo a cassação do mandato da deputada bolsonarista.

Na representação, Tabata e os advogados pedem que Kicis seja "devidamente processada" nos "termos do Regimento Interno e do Código de Ética e Decoro da Câmara" e seja condenada com a perda do mandato parlamentar.

A suposta incitação ao motim foi feita ontem pela presidente da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), a mais importante da Câmara dos Deputados, em post no Twitter. Posteriormente, Kicis removeu a mensagem e justificou que aguardaria as investigações.

A postagem veio logo no contexto da morte do PM Wesley Soares Góes, baleado por agentes Batalhão de Operações Especiais da Bahia no último domingo (28) durante um surto psicótico, quando começou a atirar em colegas de farda.

No Twitter, Kicis tentou emplacar uma narrativa de que Wesley foi morto por ter dito não às ordens do governador da Bahia, Rui Costa (PT-BA), para fiscalizar medidas restritivas impostas no estado para conter a covid-19. "Chega de cumprir ordem ilegal!", disse.

O tuíte gerou críticas de parlamentares, como a do deputado federal Rodrigo Maia (DEM-RJ), ex-presidente da Câmara, que a chamou de "desequilibrada".

Para Tabata e os advogados, porém, "os efeitos da mensagem e o incitamento causado nas redes sociais da representada e nos grupos de WhatsApp foram severos o suficiente para justificar a aplicação da penalidade pretendida", mesmo com o post tendo sido excluído.

O requerimento, direcionado ao presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), deve ser, pelo regimento da Casa, encaminhado à Mesa Diretora, que o analisará e decidirá pelo envio — ou não — do processo para o Conselho de Ética.

PSOL protocola representação contra deputada

O PSOL protocolou hoje representação contra a deputada federal no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados. A legenda pede que a parlamentar seja afastada da presidência da CCJ por quebra de decoro parlamentar.

Para os parlamentares do partido, o post de Bia Kicis no último domingo (28), "embora apagado horas depois, é nitidamente uma tentativa de estimular um motim de cunho golpista".

O pedido foi assinado pelo presidente nacional do partido, Juliano Medeiros, e todos os parlamentares da bancada.

Política