PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
7 meses

Lewandowski determina envio da íntegra de mensagens da Spoofing ao STJ

Ministro do STF atendeu a pedido do presidente do STJ, o também ministro Humberto Martins - Fátima Meira/Estadão Conteúdo
Ministro do STF atendeu a pedido do presidente do STJ, o também ministro Humberto Martins Imagem: Fátima Meira/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

12/04/2021 17h48

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Ricardo Lewandowski determinou hoje o envio da íntegra das mensagens obtidas pela Operação Spoofing ao presidente do STJ (Superior Tribunal de Justiça), Humberto Martins. As conversas a serem enviadas foram trocadas entre procuradores da força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba.

O envio das mensagens atende a um pedido de Martins, que chegou a abrir uma investigação no STJ sobre a atuação dos procuradores em relação a ministros da Corte. O processo, porém, foi suspenso por decisão da ministra do STF Rosa Weber.

A suspensão se deu no mesmo dia em que Martins solicitou o acesso a mensagens adicionais que foram acrescentadas ao processo. Como o pedido foi ainda anterior à decisão de Rosa Weber, Lewandowski entendeu que Martins e demais ministros do STJ "têm legítimo interesse em conhecer o conteúdo das referidas mensagens".

Isso porque, apesar de o inquérito ter sido aberto por decisão de ofício por Martins, as mensagens trocadas entre procuradores da Lava Jato sugerem que a força-tarefa considerou uma investigação ilegal também a demais ministros da Corte.

As conversas foram obtidas por meio de ataques hackers investigados pela Operação Spoofing. Eles foram feitos contra celulares de procuradores e do ex-juiz Sergio Moro, então titular da 13ª da Vara Federal de Curitiba, responsável pela primeira condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no âmbito da Lava Jato.

Além do envio ao presidente do STJ, Lewandowki também determinou que o conteúdo seja remetido a Rinaldo Reis Lima, Corregedor-Geral do CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público), como forma de submeter a conduta dos procuradores à avaliação do órgão.

Política