PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Flávio Bolsonaro foi à CPI da Covid 'ofender e escrachar', diz Renan

Rayanne Albuquerque, Hanrrikson de Andrade e Luciana Amaral

Do UOL, em São Paulo e em Brasília

13/05/2021 11h02Atualizada em 13/05/2021 11h32

O relator da CPI da Covid, senador Renan Calheiros (MDB-AL), fez críticas ao que ele chamou de "pregadores do ódio" e citou a discussão que o colegiado presenciou entre ele e o também senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ). Na perspectiva de Calheiros, o filho do presidente compareceu à sessão para "ofender e escrachar".

Eu quero dizer a todos os pregadores do ódio que ao final da sessão nós vimos que o filho do Presidente da República, que sequer é membro desta Comissão Parlamentar de Inquérito, veio aqui numa missão de fazer a única coisa possível: aqui, senhor presidente, ofender e escrachar. Eu quero dizer a esses pregadores que a minha resposta a todos esses ataques é esse número aqui, de vítimas da pandemia
Renan Calheiros (MDB-AL), relator da CPI da Covid

O filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) chamou Calheiros de "vagabundo" durante a oitiva do ex-secretário de Comunicação da República, Fabio Wajngarten.

* Com a colaboração de Ana Carla Bermúdez, do UOL

A CPI da Covid foi criada no Senado após determinação do Supremo. A comissão, formada por 11 senadores (maioria é independente ou de oposição), investiga ações e omissões do governo Bolsonaro na pandemia do coronavírus e repasses federais a estados e municípios. Tem prazo inicial (prorrogável) de 90 dias. Seu relatório final será enviado ao Ministério Público para eventuais criminalizações.