PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Perante Bolsonaro, apoiadores gritam "Renan, vagabundo" em ato pró-governo

Antonio Temóteo, Luciana Amaral e Amanda Rossi

Do UOL, em Brasília e em São Paulo

15/05/2021 17h19

Diante do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), apoiadores gritaram hoje "Renan, vagabundo" em ato pró-governo na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.

O grito se refere ao senador Renan Calheiros (MDB-AL), relator da CPI da Covid, no Senado. A Comissão Parlamentar de Inquérito foi criada para investigar ações e eventuais omissões do governo federal no enfrentamento à pandemia, assim como eventuais ilegalidades no uso de recursos da União repassados a estados e municípios.

Renan Calheiros está cada vez mais em rota de colisão com Bolsonaro, e tem questionado duramente depoentes na CPI quanto a possíveis erros do governo federal em meio à pandemia. Inclusive, nesta semana, chegou a pedir na CPI a prisão do ex-secretário de Comunicação da Presidência Fabio Wajngarten por avaliar que este estava mentindo, o que é proibido. O pedido de prisão foi negado pelo presidente da comissão, Omar Aziz (PSD-AM).

O termo "vagabundo" foi utilizado contra Renan pelo filho do presidente da República e senador, Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), no final da reunião da CPI com Wajngarten. Houve troca de ofensas e a sessão chegou a ser suspensa por alguns minutos.

"Vamos tentar colocar vacina nos braços dos brasileiros e não tentar fazer palanque, como o senador Renan Calheiros tenta fazer. A todo momento, querendo aparecer... Imagina um cidadão honesto sendo preso por vagabundo, que é o senador Renan Calheiros?!", afirmou Flávio Bolsonaro.

"Vagabundo é você que roubou dinheiro do pessoal do gabinete", rebateu Renan, referindo-se às denúncias de "rachadinha" que envolvem o filho do presidente Jair Bolsonaro.

Na saída do plenário da CPI, após a suspensão, Renan e Flávio voltaram a se estranhar. Renan disse a Flávio: "Moleque é você. Você é que é moleque".

Na quinta (13), de forma indireta, em viagem a Alagoas, Bolsonaro também chamou Renan Calheiros de "picareta" e "vagabundo". Ao longo do evento em Maceió, ele chegou a incentivar coros do público contra o relator da CPI.

"Se esse indivíduo quer fazer um show tentando me derrubar, não o fará. Somente Deus me tira daquela cadeira (presidencial)", disse logo após ouvir um coro de "Renan, vagabundo".

Hoje, o presidente Jair Bolsonaro disse que "sem voto auditável" o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vencerá as eleições de 2022 "pela fraude". Mais uma vez, Bolsonaro participou de um evento com aglomeração sem usar máscara.

Após os manifestantes gritarem "Renan, vagabundo", o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, fala ao microfone que "o agro é o maior amigo do meio ambiente, essa é a verdade. As cidades é que poluem. O agro brasileiro é exemplo para todo o mundo".

Política