PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
4 meses

'Debochado e perverso', dizem oposicionistas sobre evento de Bolsonaro

Do UOL, em São Paulo

23/05/2021 11h13Atualizada em 23/05/2021 11h35

Um dia após o Brasil registrar um total de 448.291 mortes por conta da covid-19, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) participa de um evento que aglomera centenas de motociclistas no Rio de Janeiro. Diante da cena, oposicionistas à gestão federal declararam que a cena é "debochada e perversa".

A líder nacional do PT, deputada federal Gleisi Hoffmann (PT-PR) relembrou que o país está diante de um alerta de terceira onda do coronavírus e sem insumos suficientes e com a capacidade de leitos reduzida, enquanto Bolsonaro "marca uma nova aglomeração".

É debochado e perverso, só está onde está porque tem a cumplicidade de aliados irrigados por emendas e que nos negam o impeachment Gleisi Hoffmann (PT-PR)

A mesma linha crítica foi adotada pelo senador Humberto Costa (PT-PE), integrante da CPI da Covid. O parlamentar acredita que o evento representa a "crueldade" de Bolsonaro diante de uma nação com "14,5 milhões de miseráveis".

Enquanto isso, Bolsonaro passeia de moto e faz pose para sua claque. Celebram a morte, a fome e a miséria. É inacreditável a crueldade do chefe da nação com o povo brasileiro
Humberto Costa (PT-PE)

O líder da oposição na Câmara, Alessandro Molon (PSB-RJ) foi irônico ao citar os "recordes" que o governo Bolsonaro conseguiu atingir ao longo de sua gestão, desde 2018. O parlamentar citou a extrema pobreza, mortes por covid-19, inflação, desemprego, desmatamento e a alta do dólar. Ao final da mensagem, o deputado criticou: "E o presidente passeando de moto".

O presidente da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) Felipe Santa Cruz disse que o presidente celebra a "irresponsabilidade e a estupidez miliciana" ao passear de moto com apoiadores.

Mais um domingo em que o presidente celebrará a irresponsabilidade e a estupidez miliciana passeando de moto com seus adoradores. Previsível espetáculo de covarde omissão que ignora hospitais lotados e a nova cepa Indiana. Pobre do Brasil, pobre do meu Rio de Janeiro...
Felipe Santa Cruz, presidente da OAB

Evento no Rio de Janeiro

O evento que conta com a presença do presidente Jair Bolsonaro no Rio de Janeiro foi organizado por apoiadores. No entanto, toda a segurança do evento é feita por homens do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), que estão munidos de detectores de metais e criaram um cercado para a imprensa, nos mesmos moldes do que existe no Palácio da Alvorada, em Brasília.

Bolsonaro está sem máscara desde o início do evento e cumprimentou apoiadores. Motociclistas e pedestres que compareceram para acompanhar a presença do chefe do Executivo são vistos com bandeiras do Brasil e camisas em tons de verde e amarelo.

A passeata circulou pelas ruas das zonas oeste e sul do Rio, no momento em que o governo federal é pressionado pelas revelações da Comissão Parlamentar de Inquérito no Senado e em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) cresce nas pesquisas de intenção de voto para a presidência em 2022.

Política