PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
15 dias

Sakamoto diz que Bolsonaro vive "alucinação" após falar de maconha em atos

Do UOL, em São Paulo

31/05/2021 19h35

Após o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) minimizar protestos contra o governo e dizer que faltou maconha a manifestantes, o colunista do UOL Leonardo Sakamoto afirmou que o chefe do Executivo vive uma "alucinação", mergulhado em uma "realidade paralela", durante participação no UOL News, programa diário transmitido pelo UOL.

"Bem, o presidente disse que os protestos contra o governo tiveram pouca gente, começa por aí. Mas o ato na Avenida Paulista foi quatro vezes maior do que a manifestação bolsonarista, no dia 1 de maio, que na época ele disse que era grande. Ou seja, a gente tem aqui um caso clássico de 'alucinação', aliada ao mergulho numa realidade paralela, com dificuldade de se expressar corretamente com os fatos a sua volta", avaliou Sakamoto.

"Bolsonaro diz que faltou erva para os manifestantes, mas na verdade os sintomas outra pessoa portanto é quem deve estar consumindo drogas pesadas. Transfere assim a sua alucinação pessoal a outras pessoas. Uma pesquisa diz que 14% das pessoas confiam no que o Bolsonaro fala. Ou seja, eles compram a alucinação do Bolsonaro. E isso me leva a uma conclusão de que o bolsonarismo realmente é uma droga no sentido ruim da palavra", concluiu ele.

A apoiadores na frente do Palácio do Alvorada, mais cedo, Bolsonaro disse em tom de deboche que as manifestações contra o governo que reuniram milhares de pessoas no sábado (29) em 22 estados e no Distrito Federal "teve pouca gente" por falta de maconha.

"Sabe por que teve pouca gente nessa manifestação da esquerda neste fim de semana? Porque a PF [Polícia Federal] e a PRF [Polícia Rodoviária Federal] estão apreendendo muita maconha pelo Brasil. Faltou erva para o movimento", disse.

Arrancando risadas de apoiadores, Bolsonaro também criticou o advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, conhecido como Kakay, que subiu em um trio elétrico em Brasília e chamou o presidente de "fascista". "Nesta manifestação do PT, o Kakay estava falando contra mim, sinal de que estamos no caminho certo", disse.

Política