PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
7 meses

Plenário está cansado de 'médico audiovisual', diz Otto ao interromper Nise

Anaís Motta*

Do UOL, em São Paulo

01/06/2021 15h49Atualizada em 01/06/2021 19h05

Convidada a depor na CPI da Covid, a médica oncologista Nise Yamaguchi passou por uma "prova" de conhecimentos científicos ao ser interrogada pelo senador Otto Alencar (PSD-BA), que também é médico. Entre outros assuntos, Alencar lhe perguntou sobre a origem do coronavírus e a diferença entre um protozoário e um vírus — quase sempre, porém, sem dar a ela tempo hábil para responder.

A senhora maculou a imagem tomando essa iniciativa [defender a hidroxicloroquina], e também querendo ser ministra da Saúde e não conseguiu. A senhora apostou numa droga que poderia dar certo ou não. E a ciência não admite isso."
Otto Alencar (PSD-BA)

Insatisfeito com as respostas, o senador interrompeu Nise diversas vezes e chegou a classificá-la como "médica audiovisual", em uma tentativa de expor, em tom elevado, desconhecimento da médica sobre temas ligados à pandemia.

Em dado momento, disse que não queria constrangê-la e que reconhecia que a médica sabia de oncologia e imunologia, áreas nas quais é especialista, mas não tinha conhecimento sobre infectologia, que estuda doenças como a covid-19, causada por um vírus.

A senhora nem estudou, doutora. A senhora foi aleatória mesmo, superficial."
Otto Alencar (PSD-BA)

"Me perdoe, eu não queria nem constranger a senhora, porque eu vi logo do começo que a senhora sabia oncologia e imunologia, mas não tinha nada de conhecimento de infectologia. Já vi logo do começo. Eu não queria nem falar isso. Estava na dúvida se eu vinha lhe questionar ou não, para não deixar a senhora, como se diz na gíria, em saia justa", afirmou Alencar.

"Eu gostaria também de lhe responder", rebateu Nise, para logo depois ser questionada sobre a origem do coronavírus — sem, novamente, conseguir responder.

De acordo com o jornal Folha de S.Paulo, uma assessora da médica foi expulsa da sala onde ocorre a sessão após criticar a fala do senador, e a sessão foi interrompida. Pouco após a volta do intervalo, Nise pediu a palavra e disse estar se sentindo "bastante agredida" por estar numa situação de um "gabinete de exceção".

Leia um trecho da transcrição do embate entre Otto Alencar e Nise Yamaguchi:

Origem do coronavírus

Otto Alencar: A senhora sabe quando foi que aconteceu a primeira manifestação do coronavírus no mundo? O primeiro caso no mundo, a senhora sabe a data?

Nise Yamaguchi: Sei.

Otto Alencar: E que tipo de coronavírus foi?

Nise Yamaguchi: Exatamente.

Otto Alencar: Diga o número, diga. Diga o ano. Pode pegar os livros aí, porque a senhora não tem na cabeça, certamente não leu, não estudou. E doutora, de médico audiovisual, este Plenário está cansado; de alguém que ouviu, e viu, e não leu, e não se aprofundou, e não tem estudado. E eu falo com a senhora porque eu tenho, desde que começou essa doença, lido tudo sobre essa matéria. Tudo! E não preciso pegar e olhar aqui o que eu estou lendo e o que eu estou vendo não. Não preciso ler para ver, não.

A senhora nem sabe quando começou a primeira manifestação do coronavírus no mundo e como foi essa manifestação. (...) Então eu quero dizer à senhora, a senhora não sabe quando foi o que aconteceu a primeira manifestação e como aconteceu. A senhora sabe a data?

Nise Yamaguchi: Muito bem, o senhor tem perguntas e respostas.

Otto Alencar: Pode pegar o livro aí, pegue o livro e diga.

Nise Yamaguchi: É, deixa eu colocar algumas coisas. Esse estudo que o senhor colocou...

Otto Alencar: Não, a senhora tem que me responder quando foi que aconteceu a primeira manifestação.

Nise Yamaguchi: Eu sei que o senhor gosta de datas.

Otto Alencar: A senhora não tem.

Nise Yamaguchi: Na realidade, isso...

Otto Alencar: A senhora não conhece, então, não estava preparada para ser, participar do gabinete paralelo quanto tantos que participaram.

Nise Yamaguchi: Ainda bem, não é?

Protozoário x vírus

Otto Alencar: (...) A senhora deve saber, por exemplo, qual é a diferença entre um protozoário e um vírus. A senhora sabe qual é a diferença, doutora? Doutora Nise, eu estou perguntando à senhora. A senhora sabe qual é a diferença entre um protozoário e um vírus? Pode dizer?

Nise Yamaguchi: Eu vou responder todas as suas perguntas.

Otto Alencar: A senhora sabe dizer o que é a diferença entre um protozoário e um vírus?

Marcos Rogério (DEM-RO): Pela ordem, senhor presidente [Omar Aziz].

Otto Alencar: Por favor, estou lhe perguntando.

Marcos Rogério (DEM-RO): Pela ordem, senhor presidente.

Otto Alencar: Está na hora de eu lhe perguntar.

Omar Aziz (PSD-AM): Pela ordem o quê?

Otto Alencar: Estou perguntando, senhora.

Omar Aziz (PSD-AM): Ele está perguntando à Dra. Nise, para ela lhe responder, se ela sabe...

Otto Alencar: Eu estou perguntando a ela.

Omar Aziz (PSD-AM): ... A diferença entre um protozoário...

Nise Yamaguchi: Senhor senador...

Omar Aziz (PSD-AM): . E um vírus. É isso.

Otto Alencar: Não, só estou perguntando: diga, do ponto de vista científico, o que é um protozoário e o que é um vírus. Qual é a composição de um e de outro, a senhora sabe?

Nise Yamaguchi: Então...

Otto Alencar: Diga.

Nise Yamaguchi: ... Vamos começar pela discussão que o senhor colocou.

Otto Alencar: Não. Não, primeiro, a senhora vai me responder agora o que é um protozoário e um vírus, por favor.

Nise Yamaguchi: Exatamente. Nós temos aqui uma...

Otto Alencar: Senhora, a senhora defina, do ponto de vista orgânico, do que é um protozoário e um vírus. Por favor! A senhora é médica formada. Se elogiou tanto o currículo da senhora... Me diga, por favor, o que é um protozoário e o que é um vírus; a diferença entre um e outro. Só isso.

Nise Yamaguchi: Os protozoários são organismos celulares, e os vírus são organismos que têm um conteúdo de DNA ou RNA. No caso da covid, nós temos...

Otto Alencar: Não, senhora. Não, senhora. Não, senhora, espere um pouco.

Nise Yamaguchi: ... É um caso...

Otto Alencar: Não, senhora. Não, senhora, tenha paciência.

Nise Yamaguchi: Sim, o senhor tem definições diferentes.

Otto Alencar: Não é bem assim. Não é bem assim, não. Não é bem assim, não.

Nise Yamaguchi: O que eu quero dizer para o senhor...

Otto Alencar: Não é bem assim, não. Não é bem assim, não. A senhora não é infectologista, é... Se transformou de uma hora para outra, como muitos no Brasil se transformaram em infectologistas. E não é assim.

*Com a colaboração de Ana Carla Bermúdez

A CPI da Covid foi criada no Senado após determinação do Supremo. A comissão, formada por 11 senadores (maioria é independente ou de oposição), investiga ações e omissões do governo Bolsonaro na pandemia do coronavírus e repasses federais a estados e municípios. Tem prazo inicial (prorrogável) de 90 dias. Seu relatório final será enviado ao Ministério Público para eventuais criminalizações.