PUBLICIDADE
Topo

Política

Kennedy Alencar: 'Queiroga se comporta como fantoche do presidente'

Do UOL, em São Paulo

10/06/2021 18h16Atualizada em 10/06/2021 18h56

Diante da declaração do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre a possibilidade de Queiroga desobrigar o uso de máscaras aos vacinados e recuperados da covid-19, o colunista do UOL Kennedy Alencar declarou que o ministro da Saúde tem atuado como "fantoche" do presidente.

Em entrevista na edição da noite do UOL News, o colunista declarou que o presidente Bolsonaro adota uma postura "descaramente mentirosa" e que age dessa forma com a consensualidade do STF (Supremo Tribunal Federal).

Você pode assistir a toda a programação do Canal UOL aqui.

A gente viu um discurso do presidente, em que ele mente descaradamente, novamente, usa fake news como arma política e as instituições não reagem. Supremo está deixando barco correr solto perto das 500 mil mortes
Kennedy Alencar

O colunista acredita que Bolsonaro pretende ter uma saída do poder "à la Trump", em referência ao ex-presidente dos Estados Unidos.

Alencar disse que Bolsonaro sabe que poderá fracassar na corrida eleitoral para ocupar o cargo de Presidente da República pela segunda vez e por isso mente sobre a credibilidade do processo de votação.

Bolsonaro está adotando uma retórica golpista. Em algum momento ele vai tentar dar um golpe na democracia. A sociedade brasileira é complexa e consegue lidar coma ameaça. Mas Bolsonaro tem projeto de destruição institucional quando ele mente
Kennedy Alencar

Bolsonaro anuncia parecer que desobriga uso de máscara

O presidente Jair Bolsonaro disse que conversou com Queiroga para desobrigar o uso de máscara por quem já tiver recebido os imunizantes contra a covid-19 ou que contraíram a doença, mas se recuperaram.

Na leitura do chefe do Executivo nacional, a estratégia seria uma forma de "tirar o símbolo que obviamente tem utilidade para quem está infectado".

Acabei de conversar com um tal de Queiroga, não sei se vocês sabem quem é, e ele vai ultimar um parecer visando a desobrigar o uso de máscara por parte daqueles que foram vacinados ou que já foram contaminados
Jair Bolsonaro

Mesmo com as investidas da CPI da Covid em entender as ações e omissões do governo federal para enfrentar a crise sanitária, o presidente mostra que deseja ir na contramão das recomendações internacionais.

Até o momento, Bolsonaro segue orientando o uso de medicamentos sem eficácia comprovada para combater os sintomas da doença, como a ivermectina e a cloroquina.

Política