PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Após ser imunizada, 'capitã cloroquina' diz que nunca foi contra a vacina

Mayra falou sobre o "tratamento precoce", termo que o governo federal utiliza para se referir ao estímulo a medicamentos sem eficácia - Reprodução/Instagram/dra.mayra.oficial
Mayra falou sobre o "tratamento precoce", termo que o governo federal utiliza para se referir ao estímulo a medicamentos sem eficácia Imagem: Reprodução/Instagram/dra.mayra.oficial

Do UOL, em São Paulo

16/06/2021 08h11

A secretária de Gestão do Trabalho e da Educação em Saúde do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, conhecida como "capitã cloroquina", disse ontem, em um vídeo publicado em sua conta no Instagram, que não é contra a vacina contra a covid-19 e criticou o que chamou de "campanha de incentivação ao linchamento moral" após ter postado nas redes sociais que se imunizou contra a doença.

Eu queria lembrar que, desde fevereiro, eu fui uma das primeiras médicas do Brasil a fazer um vídeo público da importância das vacinas. Eu nunca fui contra a vacina. Inclusive, no meu depoimento na CPI, eu justifiquei que não havia tomado vacina porque eu tive covid. E a nossa orientação é que nos esperássemos 30 dias Mayra Pinheiro

Na CPI da Covid, no fim de maio, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) quis saber Mayra já tinha se imunizado. "Ainda não", respondeu. "No dia em que minha vacina estava agendada, eu adquiri covid-19". A secretária omitiu, no entanto, que adoeceu antes do dia 21 de março deste ano, ou seja, há mais de dois meses daquela ocasião, informou a colunista do UOL Cristina Tardáguila.

Na gravação, a secretária diz ainda que tem um filho que mora fora do Brasil e que deseja visitá-lo, cumprindo toda a legislação sanitária.

Ela acrescentou que a covid-19 tem "reações múltiplas" e novamente defendeu o "tratamento precoce" — termo que o governo federal utiliza para se referir ao estímulo a medicamentos sem eficácia no tratamento dos sintomas do coronavírus.

"A gente tem que fazer a prevenção, com o uso de máscaras, de todos os equipamentos de proteção individual, e a gente tomar a vacina para prevenir. Se a gente tiver a doença, a gente faz tratamento precoce, que tem evidência que pode diminuir as internações e as mortes".

Em seu depoimento à CPI, Mayra rebateu críticas de senadores a medicamentos como cloroquina e hidroxicloroquina e, ao longo da fala, defendeu o uso da cloroquina na fase inicial da covid-19, sendo que a substância hoje em dia é contraindicada para a doença pela OMS (Organização Mundial da Saúde).

Política