PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Renan diz que investigar Queiroga na CPI foi decisão sua: 'Mentiu muito'

Senador Renan Calheiros é relator da CPI da Covid - Jefferson Rudy/Agência Senado
Senador Renan Calheiros é relator da CPI da Covid Imagem: Jefferson Rudy/Agência Senado

Do UOL, em São Paulo

17/06/2021 17h08

O senador Renan Calheiros (MDB-AL), relator da CPI da Covid, confirmou que o ministro da Saúde Marcelo Queiroga será investigado por sua atuação durante a condução da pasta na pandemia.

"O que vamos colocar na relação atual [de investigados] é o atual ministro Queiroga. Ainda em abril - e isso surpreendeu a CPI - ele, em uma conversa com Tedros Adhanom, [diretor-geral] da OMS, ofereceu os produtos para o tratamento precoce, a cloroquina, e afirmou que aqui no Brasil eles tiveram mais de 70% de eficácia. Ele teve uma participação pífia no primeiro depoimento. Mentiu bastante. No segundo, não acrescentou nada. E ainda puxou para a ele a responsabilidade de não nomear a Dra. Luana", disse, em entrevista à GloboNews.

"Ele teria dito que a nomeação era a demonstração de que ele tinha autonomia na equipe. Então ele está sendo incluído na lista de investigados para que a gente possa levantar mais informações, passar para ele o que está sendo apurado. A presença dele é substancial no ponto de vista do avanço das investigações", completou o senador.

Renan esclareceu que a ideia de incluir o ministro nesse ponto das investigações partiu dele, mesmo que outros membros da Comissão, como o vice-presidente senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), eram favoráveis a inclusão com o andamento do processo.

"Na medida que investigação avança, vamos poder incluir novos atores como investigados na CPI. Resolvi antecipar, e foi realmente uma decisão minha. Como você sabe, a CPI tem uma característica inibitória, ela se obriga a dissuadir algumas coisas que motivaram a investigação. É o caso do ministro Queiroga. Me permita citar novamente - em abril, em conversa com o Tedros, ele sugeriu à OMS o tratamento precoce a utilização da cloroquina".

"Diante dessa constatação, e mais uma, ele comprou a vacina 20% mais cara. Ele mentiu, disse que tinha autonomia ara formar a equipe, silenciou quando deveria recomendar a não realização da Copa América, decidimos colocar como investigado. É uma decisão minha, fiz questão de colocá-lo', finalizou.

Segundo o senador Randolfe Rodrigues, a lista com os nomes que passarão de testeminhas a investigados será definida até amanhã, e deve conter também os nomes dos ex-ministros Eduardo Pazuello (Saúde) e Ernesto Araújo (Relações Exteriores).

A reportagem entrou em contato com o Ministério da Saúde para obter um posicionamento do Ministro Queiroga sobre a declaração do senador Renan Calheiros, mas não obteve resposta.

A CPI da Covid foi criada no Senado após determinação do Supremo. A comissão, formada por 11 senadores (maioria é independente ou de oposição), investiga ações e omissões do governo Bolsonaro na pandemia do coronavírus e repasses federais a estados e municípios. Tem prazo inicial (prorrogável) de 90 dias. Seu relatório final será enviado ao Ministério Público para eventuais criminalizações.