PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

PSB irá apoiar o candidato capaz de derrotar Bolsonaro, diz Carlos Siqueira

Siqueira: "O único caminho possível que o PSB integrará será aquele da melhor liderança que conseguir ampliar uma frente política que derrote Bolsonaro" - Humberto Pradera: Divulgação
Siqueira: 'O único caminho possível que o PSB integrará será aquele da melhor liderança que conseguir ampliar uma frente política que derrote Bolsonaro' Imagem: Humberto Pradera: Divulgação

Colaboração para o UOL, em Alagoas

24/06/2021 08h05Atualizada em 24/06/2021 09h56

Carlos Siqueira, presidente nacional do PSB, disse que o partido fará oposição direta ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nas eleições de 2022, e que a sigla irá apoiar o candidato à presidência que tiver "melhores condições" de derrotar o atual mandatário.

Em entrevista ao jornal O Globo, Siqueira disse que a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é "fortíssima", mas pondera que ainda é cedo para cravar um nome que terá o apoio de seu partido.

"O único caminho possível que o PSB integrará será aquele da melhor liderança que conseguir ampliar uma frente política que derrote Bolsonaro. Se for Lula, será Lula, se for Ciro [Gomes], será Ciro, se for outra pessoa, será outra pessoa", afirmou Siqueira, ressaltando que o compromisso da legenda é com a democracia.

Embora as pesquisas eleitorais apontem Lula como principal adversário de Jair Bolsonaro, ele afirma que "não se pode antever eleição com tanta antecedência".

Questionado se o espaço para a chamada "terceira via" fica mais estreito com a reabilitação do petista, Siqueira diz que é cedo para chegar a tal conclusão. "Eu diria que ter uma candidatura pelo meio e bom porque vai juntar a direita democrática. Não creio que tenha sucesso."

Ele também criticou os ataques feitos pelo presidenciável Ciro Gomes (PDT) a Lula, por acreditar "que são muito ruins porque a figura a ser perseguida é a de Bolsonaro".

Ele afirma que o PSB tem direito de ter o seu próprio candidato, mas pondera que é precisos ter "em mente a necessidade da mais ampla frente para derrotar uma ameaça muito grande à democracia brasileira" que, para ele, está representada na figura de Jair Bolsonaro.

Freixo para governo do RJ

Nesta semana, o PSB ganhou dois novos nomes de peso ao partido com a filiação do deputado federal Marcelo Freixo, do Rio de Janeiro, e do governador do Maranhão Flávio Dino.

Ao Globo, Carlos Siqueira deixou clara a pretensão do partido de eleger Marcelo Freixo para comandar o governo fluminense, e revelou que o deputado federal Alessandro Molon (PSB-RJ) já está em contato com o prefeito do Rio Eduardo Paes (PSD) para viabilizar a candidatura de Freixo. Ainda, contou que ele próprio irá procurar o presidente do PSD Gilberto Kassab para firmar alianças.

"Esse é um esforço prioritário para construir essas alianças nos estados e fazer com que elas reflitam na eleição presidencial, de preferência no primeiro turno, mas se não [for] possível, [que seja] pelo menos no segundo [turno]", declarou.

Política