PUBLICIDADE
Topo

Mayra Pinheiro pediu perguntas para enviar a senadores da CPI, diz site

A secretária de Gestão e Trabalho do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, teria feito treinamento antes de depor à CPI - MATEUS BONOMI/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDO
A secretária de Gestão e Trabalho do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, teria feito treinamento antes de depor à CPI Imagem: MATEUS BONOMI/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em São Paulo

21/07/2021 20h44Atualizada em 21/07/2021 20h51

Antes de depor, a secretária do Ministério da Saúde Mayra Pinheiro pediu ajuda para formular perguntas para enviar aos parlamentares apoiadores na CPI da Covid, de acordo com um vídeo obtido pelo The Intercept Brasil.

Segundo o site, a médica apelidada de "Capitã Cloroquina" fez um treinamento por videoconferência antes de ser questionada pelos senadores em maio deste ano. Na gravação, aparecem o pesquisador Regis Bruni Andriolo e o também secretário da pasta Helio Angotti Neto.

Nos trechos exibidos, ela diz precisar enviar a senadores "perguntas cujas respostas sejam oportunidade de eu falar".

"Se o senhor puder fazer três ou quatro perguntinhas que os 'deputados' podem me fazer. Tem um grupo que nos apoia, que reconhece o nosso trabalho. Esse grupo precisa fazer perguntas que nos ajudem no nosso discurso. Que perguntas posso dar a esses senadores fazerem a mim, que eles chutam para eu fazer o gol?", pergunta.

"Capricha e já me dá a resposta porque os senadores têm que ter essa respostinha. Tem cinco senadores que vão jogar com a gente, preciso dar perguntas para eles interrogarem cujas respostas sejam oportunidade de eu falar", continua.

Não fica claro na gravação a quais senadores ela se refere. Nos trechos exibidos pelo The Intercept, Mayra também pergunta aos interlocutores se haveria uma "bala de prata" para ela levar à CPI e comprovar a eficácia de medicamentos do chamado kit covid. "O que levo para provar que estamos no caminho certo e que existe evidência?", pergunta.

Secretária de Gestão e Trabalho do Ministério da Saúde, Mayra é defensora do uso de medicamentos sem eficácia comprovada para tratar a covid-19. No começo deste ano, ela teria ido à Manaus para recomendar o uso desses fármacos a profissionais de saúde.

O UOL entrou em contato com o Ministério da Saúde, a Secretaria de Gestão e Trabalho, o gabinete de Angotti Neto na Secretaria de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde e com Regis Bruni Andriolo, e aguarda posicionamento.

A CPI da Covid foi criada no Senado após determinação do Supremo. A comissão, formada por 11 senadores (maioria é independente ou de oposição), investiga ações e omissões do governo Bolsonaro na pandemia do coronavírus e repasses federais a estados e municípios. Tem prazo inicial (prorrogável) de 90 dias. Seu relatório final será enviado ao Ministério Público para eventuais criminalizações.