PUBLICIDADE
Topo

Política

O que se sabe até agora sobre incidente com a deputada Joice Hasselmann

A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) com ferimentos - Reprodução/CNN
A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) com ferimentos Imagem: Reprodução/CNN

Nathalia Zôrzo

Colaboração para o UOL, em Brasília

26/07/2021 22h26Atualizada em 26/07/2021 22h26

Desde a madrugada do dia 18 de julho, quando a deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) acordou em seu quarto com dois dentes quebrados e vários ferimentos pelo corpo, pouco se descobriu sobre o que pode ter ocorrido com a parlamentar. O incidente ocorreu no apartamento funcional onde ela mora, em Brasília, e está cercado de dúvidas.

A parlamentar afirma não ter nenhuma lembrança do que teria ocorrido. Só se recorda de ter tomado um remédio de uso contínuo para dormir após ver televisão, em sua cama, e de ter adormecido cerca de 20 minutos depois.

Quando acordou, de madrugada, estava deitada de bruços no chão do quarto, que tinha várias marcas de sangue. Um hospital de Brasília constatou que ela teve cinco fraturas no rosto e na costela.

Confira o que já se sabe sobre o caso.

Onde estava o marido?

O médico neurocirurgião Daniel França, marido de Joice, diz que não ouviu nada porque estava dormindo em outro quarto do apartamento, como é costume do casal, já que ele ronca muito e isso atrapalha o sono da mulher.

Ele conta que só acordou quando a deputada ligou para o celular dele, pedindo socorro. Daniel diz que fez os primeiros socorros e depois levou a mulher ao hospital. Ele nega qualquer tipo de agressão a ela e também que houvesse sinais de luta corporal no quarto.

Inicialmente, o casal suspeitou apenas que a deputada tivesse caído da cama, mas, após exames, eles entenderam que as pancadas foram fortes e em vários pontos, o que os levou a crer que ela tenha sofrido agressões.

Quais são as principais suspeitas?

Joice Hasselmann diz que não descarta quase nenhuma hipótese, a não ser uma tentativa de assalto, porque ela tinha vários objetos de valor no apartamento e nada foi levado.

Ela também nega a possibilidade de que o marido a tenha agredido.

Para a deputada, o fato de ela ter muitas desavenças na política, inclusive com ameaças de morte, a faz crer na possibilidade de ter sofrido um atentado. Ela não sabe explicar, no entanto, como ela teria sido dopada antes de ser agredida.

A parlamentar informou à polícia os nomes de pelo menos dois desafetos que acredita serem capazes de cometer o crime. Ela não revelou os nomes, mas disse que um deles tem livre acesso ao prédio onde ela mora e o outro teria como conseguir entrar com certa facilidade.

"Eu já sofri muitas ameaças verbais, ameaças de estupro. Houve uma época que eu recebia mais de 60 emails por dia, me ameaçando de estupro, estupro dos meus filhos e não foi suficiente. Talvez tenha sido um recado mais duro do tipo: somos capazes de ir além", afirmou.

Quem investiga o caso?

O primeiro órgão a ser acionado foi a Polícia Legislativa, que analisou imagens do circuito interno do prédio e ouviu testemunhas.

O marido da deputada prestou depoimento por duas horas na semana passada. O processo corre sob sigilo e as informações obtidas foram compartilhadas com o MPF (Ministério Público Federal).

Nesta segunda-feira (26), a deputada procurou também a Polícia Civil do Distrito Federal para registrar um boletim de ocorrência.

A parlamentar prestou depoimento e entregou ao delegado um "objeto estranho" que encontrou no domingo embaixo de um sofá do apartamento e que não pertence a ela, nem ao marido ou aos funcionários que trabalham lá. Joice não quis dizer o que é. Afirmou apenas que não é uma arma e não é cortante.

Procurado pelo UOL, o delegado-chefe da 2ª DP, João Guilherme, não quis comentar a investigação, que também corre sob sigilo.

A deputada Joice Hasselmann também acionou a Ouvidoria Nacional das Mulheres, ligada ao Conselho Nacional do Ministério Público. Quem acompanha o caso é a promotora de Justiça Gabriela Manssur.

Quais são os próximos passos?

A deputada passou por um exame de corpo de delito na segunda-feira, após sair da delegacia, em Brasília, e aguarda uma perícia em seu apartamento, mesmo tendo se passado mais de uma semana da data do incidente.

Ela também pediu uma perícia em seu carro, porque quer saber se há algum dispositivo de rastreamento instalado lá.

Deputada registra BO

Joice Hasselmann também registrou um boletim de ocorrência por calúnia, injúria e difamação contra o senador Styvenson Valentim (Podemos). O parlamentar teria acusado a deputada, pelas redes sociais, de ter usado drogas na noite do incidente.

Joice disse que vai processar quem usar as redes sociais para difamá-la ou "fazer qualquer tipo de ilação" contra ela ou seu marido, que também foi acusado pela internet.

"Não vou admitir mancharem a honra do meu marido e a minha honra também, porque isso é colocar o meu caráter e minha história em suspeita", disse Joice.

Política