PUBLICIDADE
Topo

Política

Polícia Legislativa diz que Joice não saiu de casa entre 15 e 20 de julho

Rafael Neves

Do UOL, em Brasília

27/07/2021 17h51Atualizada em 27/07/2021 19h46

A Polícia Legislativa da Câmara informou hoje ter concluído, em perícia feita no apartamento da deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), que a parlamentar não saiu do imóvel entre os dias 15 e 20 de julho. Joice diz ter acordado ferida no chão do quarto, na manhã do dia 18, um domingo, sem ter memória do que havia acontecido.

Segundo a Câmara, a perícia nas câmeras de segurança do prédio aponta que Joice só saiu de casa na terça passada (20), data na qual a congressista afirmou ter ido ao hospital, dois dias após o incidente. A parlamentar relata que foi inicialmente socorrida pelo marido, o neurocirurgião Daniel França, que dormia em outro quarto. Por essa razão, segundo o casal, ela não foi imediatamente ao hospital, já que França é capacitado para fazer o atendimento médico.

"Eu fiz um exame físico, completo, geral, e depois um exame neurológico completo e detalhado", afirmou França em entrevista coletiva concedida no apartamento, em Brasília, no último domingo. Ele e Joice afirmam, também, que não procuraram a polícia logo no primeiro dia porque imaginavam inicialmente que se tratava de um acidente doméstico.

"Ela fez os exames na terça, recebemos os resultados na quarta e, a partir do resultado dos exames, começamos a aventar a possibilidade de um outro traumatismo crânio-encefálico que não a queda da própria altura", disse França. A partir, disso, o casal afirma que aventou a possibilidade de que a parlamentar tenha sido atacada. O médico nega ter agredido Joice.

Por meio de nota, Joice afirmou que as conclusões da Polícia Legislativa confirmam a versão dela sobre o ocorrido. "A nota da Depol prova o que eu tinha dito desde o início sobre as datas do ocorrido e derruba a tese espalhada por governistas de suposto acidente de carro: eu não saí de casa, como, aliás, é de praxe nos finais de semana", sustentou.

No último domingo, Joice afirmou ter recebeido de uma fonte interna do GSI (Gabiente de Segurança Institucional) a informação de que o governo iria espalhar a versão de que seus ferimentos seriam fruto de um acidente de carro. "Eu mesma pedi perícia à PCDF [Polícia Civil do Distrito Federal] do meu automóvel para comprovar que não houve qualquer avaria", afirmou a deputada no comunicado.

A Polícia Legislativa informou ter encerrado as investigações e enviado o inquérito para o Ministério Público Federal no Distrito Federal. Na tarde de hoje, porém, o MPF-DF informou que devolveu os autos à Polícia Legislativa e pediu a conclusão dos laudos periciais.

Hoje Joice Hasselmann voltou a afirmar em seu Twitter ter sido vítima de um atentado e se comparou ao empresário PC Farias, assassinado quatro anos depois de ser o pivô do impeachment do ex-presidente Fernando Collor, em 1992. "Não terei o mesmo destino de PC Farias", escreveu a parlamentar.

Política