PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
8 meses

Zé Trovão diz que ministros do STF vão 'sair de suas cadeiras'

Alvo de um mandado de prisão, Marcos Antonio Pereira Gomes, conhecido como Zé Trovão, participou ontem de uma live e voltou a criticar os ministros do STF - Reprodução
Alvo de um mandado de prisão, Marcos Antonio Pereira Gomes, conhecido como Zé Trovão, participou ontem de uma live e voltou a criticar os ministros do STF Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

04/09/2021 07h52Atualizada em 04/09/2021 12h14

Após ser alvo de um mandado de prisão, o caminhoneiro Marcos Antônio Pereira Gomes, conhecido como Zé Trovão, afirmou que não cometeu nenhum crime e que os ministros do STF "vão sair de suas cadeiras". As declarações de Zé Trovão foram feitas durante uma live na noite de ontem, minutos depois da confirmação do pedido de prisão contra ele, com a pastora Jane Silva.

"Eu não cometi nenhum crime, eu não sou bandido. Vocês estão mandando me prender inconstitucionalmente. Vocês vão se ver com a Justiça, com a justiça do povo brasileiro. Os senhores vão sair de suas cadeiras. Essa prisão que vocês vão cometer é a última. Ministros, vocês não têm vergonha na cara. Vocês vão pagar pelo crime de vocês", disse ele.

A prisão foi solicitada pela PGR (Procuradoria-Geral da República) e determinada pelo ministro Alexandre de Moraes. Zé Trovão, apoiador do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), é acusado de promover a incitação de atos violentos contra o Congresso Nacional e STF (Supremo Tribunal Federal) por meio das redes sociais. Ele teria descumprido ordens cautelares determinadas anteriormente por Moraes.

O advogado de Gomes, Levi de Andrade, disse ao UOL que seu cliente não deve se entregar à Polícia Federal, pelo menos até o dia 7 de Setembro. Questionado se vai estar em Brasília ou São Paulo na próxima terça-feira, quando estão marcados os atos contra o STF, Zé Trovão disse que só dará essa informação no dia.

"No 7 de setembro vocês têm que estar na rua. Quem me garante que eu vou sair do presídio vivo? Quem vai garantir que eu vou sair andando, como aconteceu com o Oswaldo Eustáquio (jornalista bolsonarista que foi preso). Quem vai garantir a segurança do Wellington Macedo que foi preso mais cedo?", disse ele.

Ainda na noite de ontem, no grupo do Telegram, Zé Trovão pediu que as pessoas "não deem munição ao inimigo em dizer coisas que podem nos complicar ou complicar o grupo".

Política