PUBLICIDADE
Topo

Política

7 de setembro no Recife remonta ditadura e Cruzadas; atos ocorrem pelo NE

Grupo de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) promove uma carreata em apoio ao governo federal pela avenida Mascarenhas de Moraes, na zona sul do Recife - Júlio Gomes/LeiaJá Imagens/Estadão Conteúdo
Grupo de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) promove uma carreata em apoio ao governo federal pela avenida Mascarenhas de Moraes, na zona sul do Recife Imagem: Júlio Gomes/LeiaJá Imagens/Estadão Conteúdo

Carlos Madeiro

Colaboração para o UOL, em Maceió

07/09/2021 13h29Atualizada em 07/09/2021 15h09

As nove capitais do Nordeste realizaram, na manhã deste 7 de Setembro, atos pró e contra o presidente Jair Bolsonaro. Todas as manifestações ocorrem sem registro de incidentes até o momento.

No Recife, os atos pró-presidente foram marcados por nostalgia. Manifestantes plotaram dois jipes e, fantasiados de soldados, diziam ser da "polícia do Exército" —que foi muito usada durante a ditadura militar (1964-1985). Uma réplica de um tanque de guerra também chamou a atenção na carreata na avenida Mascarenhas de Moraes.

Na orla, manifestantes se reuniram na avenida Boa Viagem e cantaram a música "Eu te amo meu Brasil", uma marca da propaganda da ditadura militar. Um manifestante usou fantasia de cavaleiro da Ordem dos Templários, em referência às Cruzadas, e chamou atenção com uma bandeira brasileira nas mãos.

Já na Praça do Derby, na região central da capital pernambucana, como é tradição houve o Grito dos Excluídos que pediu ações de combate à fome e mais vacinas.

Em Fortaleza, o grupo de apoio a Bolsonaro se reuniu no entorno da Arena Castelão e, após um chamado feito com um berrante em um carro de som, carros, motos e bicicletas seguiram com os manifestantes em carreata até a Praça Portugal. O Grito dos Excluídos está marcado para as 15h na praça Cruz Grande.

Em Salvador, o tradicional Grito dos Excluídos ocorreu na avenida Sete de Setembro, onde diversas entidades sociais protestaram contra as falas golpistas dos apoiadores de Bolsonaro e defenderam a democracia, eles também protestaram contra o avanço da fome. Os apoiadores do presidente se reuniram no Farol da Barra, onde um carro de som comandou as críticas ao STF.

Em Maceió, o ato a favor do presidente contou com tratores cedidos por ruralistas, que desfilaram no bairro da Jatiúca, na orla da capital alagoana —que está enfeitada desde o fim de semana com bandeiras do Brasil.

Ali próximo, na praia de Pajuçara, manifestantes também realizaram o Grito dos Excluídos e gritaram, próximo ao apartamento onde mora o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), a abertura do processo de impeachment de Bolsonaro.

7.set.2021 - Grito dos Excluídos também acontece em Maceió, com manifestantes nas ruas contra o governo Bolsonaro - Josiane Calado - Josiane Calado
Grito dos Excluídos também acontece em Maceió, com manifestantes na orla contra Bolsonaro
Imagem: Josiane Calado

Em São Luís, apoiadores do presidente se reuniram na porta da recém-inaugurada loja da Havan e cantaram o hino nacional em frente à réplica da Estátua da Liberdade, de onde saíram em carreata pela orla.

Já o Grito dos Excluídos reuniu manifestantes pelas ruas do centro da capital maranhense.

Em Teresina, um ato contra o presidente foi realizado na avenida Marechal Castelo Branco. Comandado pela Arquidiocese da capital piauiense, o Grito dos Excluídos focou em pedir democracia, comida e vacina contra a covid-19. O ato a favor de Bolsonaro deve ocorrer à tarde.

Em João Pessoa, manifestantes levaram uma bandeira colorida pela avenida Epitácio Pessoa em referência à luta LGBTQI+ tomou conta do Grito dos Excluídos. Já o ato em defesa de Bolsonaro ocorreu com um hasteamento por um caminhão-guincho da bandeira do Brasil no Busto de Tamandaré.

Em Natal, uma carreata a favor de Bolsonaro marcou o ato em apoio ao presidente da República. Já o Grito dos Excluídos ocorreu com concentração na praça das Flores. Uma das faixas criticava a política de armamento e dizia: "tive fome e me destes um fuzil."

Em Aracaju, o Grito dos Excluídos percorreu, como todos os anos, ruas dos bairros Santa Maria e 17 de Março. Os manifestantes de apoio a Bolsonaro, por sua vez, tomaram a calçada da Praça da Bandeira, no centro. No local, eles fizeram um hasteamento simbólico da bandeira e cantaram o hino do Brasil.

Política