PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
15 dias

Joel Pinheiro: Bolsonaro fez discurso defensivo, mas o mundo não é bobo

Do UOL, em São Paulo

21/09/2021 13h03Atualizada em 21/09/2021 13h54

Para Joel Pinheiro, colunista do UOL, já era esperado que o discurso do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na ONU (Organização das Nações Unidas) fosse "ruim", "mas ele foi além" ao mentir sobre questões internas.

"Ao invés de olhar para o mundo, tratar sobre as questões globais, ele olhou apenas para dentro de casa", disse Joel Pinheiro ao UOL News, programa do Canal UOL.

"Bolsonaro fez um discurso defensivo, no qual ele busca dizer que tudo anda às mil maravilhas no Brasil: o nosso meio ambiente, o ambiente de negócios", afirmou o colunista. "Mas o mundo não é bobo", completou.

"O mundo vê os dados da destruição ambiental crescente, vê que a situação econômica do Brasil não está boa — por isso mesmo o investimento estrangeiro direto cai. As pessoas não querem negociar com Bolsonaro", disse Joel.

Para Joel Pinheiro, de forma resumida, Bolsonaro realizou, na ONU, um discurso "pequeno", "centrado no país" e "defensivo", buscando negar problemáticas nacionais e abdicando de estabelecer um diálogo com o mundo.

Ainda assim, pontuou Joel, "ninguém espera que um chefe de estado vá para a ONU falar mal do próprio país". "Agora, não dá para adotar uma posição que simplesmente negue a realidade patente sobre o meio ambiente a pandemia", acrescentou.

Na visão do colunista, o correto seria que Bolsonaro admitisse os problemas brasileiros, mas pontuasse que estão sendo tomadas medidas para resolvê-los. "Mas é óbvio: estamos falando do Bolsonaro, e ele não faria nada disso", disse.

O governo Bolsonaro teve início em 1º de janeiro de 2019, com a posse do presidente Jair Bolsonaro (então no PSL) e de seu vice-presidente, o general Hamilton Mourão (PRTB). Ao longo de seu mandato, Bolsonaro saiu do PSL e ficou sem partido. Os ministérios contam com alta participação de militares. Bolsonaro coloca seu alinhamento político à direita e entre os conservadores nos costumes.