PUBLICIDADE
Topo

Após denúncias, CPI convoca médicos que trabalharam na Prevent Senior

28.set.2021 - Fachada de prédio da Prevent Senior na região do Paraíso, na zona sul de São Paulo - Bruno Rocha/Enquadrar/Estadão Conteúdo
28.set.2021 - Fachada de prédio da Prevent Senior na região do Paraíso, na zona sul de São Paulo Imagem: Bruno Rocha/Enquadrar/Estadão Conteúdo

Luciana Amaral

Do UOL, em Brasília

30/09/2021 17h37Atualizada em 30/09/2021 21h25

A CPI da Covid aprovou hoje a convocação de três médicos ex-funcionários da Prevent Senior para deporem sobre as acusações de irregularidades supostamente cometidas pela operadora de saúde ao longo da pandemia.

A expectativa é que os médicos George Joppert Netto, Andressa Fernandes Joppert e Walter Correa de Souza Neto compareçam à Comissão Parlamentar de Inquérito na semana que vem.

Um grupo de 12 médicos e ex-médicos da Prevent Senior apresentou denúncias contra a empresa em dossiê à CPI no final de agosto. A advogada do grupo, Bruna Morato, depôs na comissão nesta terça (28). Segundo ela, a Prevent implementou uma política interna de "coerção", e os profissionais de saúde acabaram receitando o chamado "kit covid" por medo de sofrerem retaliações, inclusive demissão.

Bruna não revelou a identidade dos denunciantes. Ainda não está confirmado se os três médicos integram esse grupo. Parte dos senadores acredita que sim.

Em depoimento à CPI, o diretor-executivo da Prevent Senior, Pedro Benedito Batista Júnior, afirmou que os George Joppert Netto e Andressa Fernandes Joppert "manipularam dados de uma planilha interna, que era uma planilha de acompanhamento de pacientes, para tentar comprometer a operadora". Segundo ele, ambos foram desligados da Prevent em junho de 2020 e, então "passaram a acessar e editar o referido arquivo, culminando no compartilhamento da planilha com a advogada Bruna Morato, em 28 de agosto".

Bruna Morato negou que tenha havido qualquer manipulação.

O autor do requerimento de convocação dos dois primeiros médicos é o senador governista Marcos Rogério (DEM-RO). Já Walter Correa de Souza Neto foi convocado a partir de requerimento do senador Humberto Costa (PT-PE)

Além dos médicos, a CPI aprovou hoje convocar o beneficiário da Prevent Senior Tadeu Frederico Andrade para que ele fale sobre o tratamento médico para a covid-19 utilizado pela operadora de saúde.

"[Tadeu] contou ter sido infectado pela covid-19 no Natal e, por telemedicina na Prevent Senior, foi-lhe receitado o 'kit covid'. Seguindo a prescrição, o Senhor Tadeu tomou a medicação, mas seu quadro clínico se agravou, necessitando de internação em unidade de tratamento intensivo (UTI). Após um mês na UTI, a equipe da Prevent, segundo alegado pelo beneficiário, queria tira-lo da internação para economizar custos, colocando-o sob cuidados paliativos. A família do Senhor se recusou a aceitar tal mudança terapêutica. Por fim, o senhor Tadeu se recuperou e, vivo, denunciou a Prevent Senior à CPI e ao Ministério Público de São Paulo", diz trecho do pedido de convocação de Tadeu elaborado por Humberto Costa.

Mais cedo, a CPI aprovou a convocação do diretor-presidente da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), Paulo Roberto Vanderlei Rebello Filho. A expectativa é que ele seja ouvido na próxima quarta (6) ou quinta (7).

A CPI quer entender como a ANS agiu diante de supostas irregularidades cometidas pela Prevent Senior.

A CPI da Covid foi criada no Senado após determinação do Supremo. A comissão, formada por 11 senadores (maioria é independente ou de oposição), investiga ações e omissões do governo Bolsonaro na pandemia do coronavírus e repasses federais a estados e municípios. Tem prazo inicial (prorrogável) de 90 dias. Seu relatório final será enviado ao Ministério Público para eventuais criminalizações.