PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
3 meses

Malafaia se diz 'terrivelmente decepcionado' com ministro André Mendonça

Do UOL, em São Paulo

21/04/2022 14h17Atualizada em 21/04/2022 14h31

Um dos religiosos mais próximos do presidente Jair Bolsonaro (PL), o pastor Silas Malafaia não poupou o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), André Mendonça, por ontem (20) ter votado pela condenação do deputado bolsonarista Daniel Silveira (PTB-RJ). Além de "terrivelmente decepcionado" com o ministro-pastor, Malafaia não poupou o ministro Alexandre de Moraes, a quem chamou de "desgraçado" e "ditador de toga".

Silveira foi julgado por ameaçar ministros do Supremo e incitar o confronto entre instituições da República e as Forças Armadas. Acabou condenado a oito anos e nove meses de prisão e teve o mandato cassado por 10 votos a 1.

Embora indicado por Bolsonaro —aliado de Silveira—, Mendonça se posicionou pela condenação do deputado. Ele propôs, no entanto, pena menor, de dois anos e quatro meses em regime aberto. Foi vencido pela maioria em uma decisão que ainda cabe recurso.

"Terrivelmente decepcionado com o ministro André Mendonça, que se rende ao ditador da toga [Alexandre de Moraes] e envergonha o povo evangélico", afirmou Malafaia em um vídeo divulgado em redes sociais.

Pastor presbiteriano, Mendonça foi indicado ao STF com apoio de Malafaia após promessa de Bolsonaro de levar à Suprema Corte um ministro "terrivelmente evangélico", como Mendonça passou a ser chamado.

Em contrapartida, Malafaia agradeceu ao outro ministro indicado por Bolsonaro: Kassio Nunes Marques foi o único dos onze membros a votar pela absolvição de Silveira. "Terrivelmente você me representa", afirmou Malafaia.

"Ditador, cretino, desgraçado"

Malafaia também disparou sua artilharia contra os presidentes da Câmara, Arthur Lira (PL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD), chamados de "covarde e frouxo".

O principal alvo, no entanto, foi Moraes, um "ditador de toga" que teria se comportado como "vítima, acusador, julgador e carrasco".

Mil manobras para condenar o réu em regime fechado e cassar seu mandato: ditador, cretino, desgraçado: julgamento e condenação inescrupulosa que mancha o judiciário brasileiro."
Silas Malafaia, pastor

Eduardo Bolsonaro compara Silveira a Jesus

Filho do presidente, o deputado Eduardo Bolsonaro (PL-SP) também saiu em defesa de Silveira, a quem comparou a Jesus Cristo.

"Nossa maior referência foi o mais perseguido e mesmo assassinado com requintes de tortura. Se essa injustiça aconteceu com Jesus, não seremos nós a vir para a Terra para receber apenas aplausos", afirmou. "Esse sorriso da foto voltará, pois não há mal que dure para sempre."

Política