PUBLICIDADE
Topo

Política

União Brasil protocola queixa-crime contra vereador que fez piada racista

Camilo Cristófaro, vereador de São Paulo - André Bueno/CMSP
Camilo Cristófaro, vereador de São Paulo Imagem: André Bueno/CMSP

Weudson Ribeiro

Colaboração para o UOL, em Brasília

04/05/2022 19h10

A bancada do União Brasil em São Paulo protocolou hoje uma queixa-crime no Ministério Público em que pede que o vereador Camilo Cristófaro (sem partido-SP) seja denunciado pelo crime de racismo. A decisão foi tomada depois de um áudio do vereador ter vazado ontem na sessão da Câmara Municipal de São Paulo. "Não lavar a calçada... É coisa de preto", diz ele na gravação.

Em nota, a sigla afirmou que Cristófaro extrapolou os limites do direito de opinião e de manifestação de pensamento, e afirmou que o episódio reforça o racismo estrutural. A legenda também protocolou representação na Corregedoria da Câmara. Procurado pelo UOL, o vereador não havia sido localizado até a última atualização desta reportagem. O texto será atualizado em caso de eventual manifestação.

O político afirmou ontem que ele não é racista em suas atitudes. "Peço desculpas a toda população negra por esse episódio que destrói toda minha construção política na busca de garantia à cidadania dos paulistanos, principalmente aos que têm suas portas de acesso ao direito diminuída pelo racismo estrutural", afirmou.

A ação do União Brasil ocorre depois de o PSB anunciar a desfiliação do vereador. O presidente do partido em São Paulo, Jonas Donizette, aceitou um pedido que o parlamentar havia feito de afastamento dos diretórios municipal e estadual da agremiação. "Ele já vinha me ligando, afirmando que queria a desfiliação. Estávamos tentando segurá-lo. Mas, diante do fato gravíssimo de manifestação de racismo, que vai contra os princípios do PSB, o desligamento foi aceito", afirma Donizette.

Antes, os deputados federais pelo PSB Marcelo Freixo (RJ), Danilo Cabral (PE) e Milton Coelho (PE), haviam pedido na comissão de ética do partido a expulsão do vereador. Com a medida de Doniztte, no entanto, o processo de expulsão se torna desnecessário.

O que diz o União Brasil

"O União Brasil São Paulo entrou com queixa-crime no Ministério Público de São Paulo nesta quarta-feira (04) por crime de racismo contra o vereador Camilo Cristófaro (PSB) após áudio vazado durante sessão da CPI dos Aplicativos, de terça-feira (03), em que profere fala racista - "Não lavar a calçada... É coisa de preto, né?".

O vereador extrapolou os limites do direito de opinião e de manifestação de pensamento ao proferir falas racistas. Tal conduta foi indecente, desrespeitosa, criminosa e não pode passar incólume.

O partido protocolou, ainda, uma representação na Corregedoria da Câmara Municipal de São Paulo pois a conduta do vereador Camilo Cristófaro é incompatível com a de um parlamentar.

O episódio reforça o racismo estrutural. Nesta e em nenhuma circunstância pode ser visto como uma brincadeira ou deslize, ainda mais em uma Casa Legislativa. Nestes casos, temos de ser enérgicos, contundentes e intolerantes no combate ao racismo e, por isso, recomendamos a cassação do vereador".

Política