PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Cármen manda à PGR pedido de investigação contra Bolsonaro por fala racista

Presidente Jair Bolsonaro (PL) - Alan Santos/PR
Presidente Jair Bolsonaro (PL) Imagem: Alan Santos/PR

Do UOL, em São Paulo

19/05/2022 23h00Atualizada em 19/05/2022 23h19

A ministra do STF (Supremo Tribunal Federal) Cármen Lúcia encaminhou hoje à PGR (Procuradoria-Geral da República) o pedido de investigação contra o presidente Jair Bolsonaro (PL) pelo crime de racismo.

O pedido foi realizado pelo deputado federal Orlando Silva (PCdoB-SP) e pela Frente Ampla Democrática pelos Direitos Humanos após Bolsonaro perguntar a um apoiador negro na quinta-feira (12) se ele pesava "mais de sete arrobas", unidade de peso usada para o gado. O comentário foi feito após o atual mandatário ser informado que o homem foi levantado do chão.

Em seguida, Bolsonaro lembrou que já foi processado anteriormente por usar a expressão "arroba" para se referir a pessoas negras. Na ocasião, o presidente foi denunciado pela PGR antes de assumir o cargo de chefe do Executivo, mas a denúncia foi rejeitada pela 1ª Turma do STF que viu imunidade parlamentar na fala.

"Manifeste-se o Procurador-Geral da República. Na sequência, retornem-me os autos em conclusão", informou o despacho da ministra, de acordo com o site do STF.

Ainda de acordo com o sistema da Corte, o processo já foi recebido na PGR nesta quinta-feira (19) para apreciação do procurador-geral, Augusto Aras.

Para o deputado Orlando Silva, que divulgou hoje o diagnóstico positivo para a covid-19, é "notório o desrespeito com que o atual Presidente se refere a minorias, especialmente à população negra". "São diversos os episódios em que a esta é alvo de desrespeito por parte de Jair Bolsonaro, ontem não foi diferente", declarou.

Na última semana, o parlamentar ainda ressaltou que a declaração tem mais gravidade por ter sido dita pelo presidente às vésperas do aniversário da abolição da escravatura, no dia 13 de maio.

Na sexta-feira (13), os deputados federais Gleisi Hoffmann (PT-PR) e Paulo Teixeira (PT-SP) já haviam protocolado uma notícia-crime contra o presidente junto à PGR pela fala racista.

Em 2020, Bolsonaro já havia usado "arrobas" para apoiador negro

Durante evento por videoconferência em fevereiro de 2020, o presidente interagiu com apoiadores, incluindo uma pessoa negra — com a qual Bolsonaro optou usar a mesma frase dita na última semana.

"Bolsonaro, sou negão, votei em você e em 2022 vou votar de novo. Você é o melhor presidente do Brasil", disse o apoiador.

Após o homem declarar seu apoio a Bolsonaro, o político respondeu com "e você está com oito arrobas", ao som de risadas.

*Com Paulo Roberto Netto, do UOL, em Brasília

Política