PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Zambelli xinga filósofo e diz 'vou mijar'; ele reage: 'Ganha 30 pau ao mês'

Carla Zambelli - Divulgação/Carla Zambelli
Carla Zambelli Imagem: Divulgação/Carla Zambelli

Weudson Ribeiro

Colaboração para o UOL, em Brasília

05/07/2022 10h49

A deputada federal Carla Zambelli (PL-SP) abandonou uma discussão com o professor de filosofia Paulo Cruz após ter sido questionada sobre seu voto favorável à aprovação da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) de 2022, que aumentou o Fundo Eleitoral de R$ 2 bilhões para R$ 5,7 bilhões.

"Você é muito burro. Vou mijar, fique falando sozinho", disse a congressista a Cruz, antes de deixar a conversa. O debate ocorreu durante episódio do Flow Podcast exibido na madrugada de hoje.

Zambelli, que classificou a mudança no valor do Fundão como "inadmissível" no ano passado, no fim das contas votou "sim" para aprovar o texto que previa déficit de R$ 170 bilhões nas contas públicas para 2022.

Na avaliação do professor de filosofia, a parlamentar deveria ter condicionado o voto a favor da matéria à retirada do aumento do Fundão.

"Ela ganha R$ 30 mil por mês para votar algo que vai ferrar a vida do brasileiro, e fala que eu sou burro. Ela acha que eu estou errado porque ela é bolsonarista e está ganhando dinheiro. Estou errado para alguém que está sentada em cima do dinheiro", declarou Cruz, momentos após a deputada deixar a conversa.

Em julho de 2021, a bolsonarista disse que o voto foi em relação "ao texto principal do projeto", porque seria "de uma irresponsabilidade incrível" deixar o Brasil sem orçamento, e que precisava aprová-lo por ser governista. À época, Zambelli declarou que foi "a favor do destaque do Novo para retirar do texto o fundão" e que o mesmo havia sido rejeitado após a aprovação do texto principal.

O que diz Carla Zambelli sobre o debate no Flow

Ao UOL, a deputada federal Carla Zambelli emitiu a seguinte nota:

"Foi uma longa inquisição de quatro horas e meia, na qual fui tratada com desrespeito inúmeras vezes. Tenho 11 anos de vida pública e quem me acompanha sabe que não perco a paciência, mas falta de honestidade é intolerável.

Apesar de esbanjar arrogância e prepotência, o debatedor, que disse que o lockdown da pandemia durou uma semana, fingiu desconhecimento do processo legislativo.

Expliquei que, nas votações, os partidos podem separar dispositivos para serem votados isoladamente, são os chamados destaques. Foi isso que ocorreu na votação: fomos favoráveis ao projeto, mas votamos contra o aumento do Fundo Eleitoral. Se querem realmente saber quem foi contra ou a favor do aumento, vejam a votação sobre o veto do presidente Jair Bolsonaro".

Leia o diálogo de Carla Zambelli e Paulo Cruz

Paulo Cruz: R$ 5 bilhões saiu da onde, do Fundão?
Carla Zambelli: Olha, o tanto q você está distorcendo? Eu falei R$ 49 bilhões.
Paulo: Agora, teve um Fundão agora de R$ 5 bi.
Carla: Aí você fala com quem votou a favor do Fundão, eu sou contra o aumento.
Paulo: Você votou a favor do Fundão, dizendo que ia fazer o destaque e tal, mas votou a favor.
Carla: Você acha que ter votado no Orçamento é ter votado a favor do Fundão? Então, você acha que eu tinha que votar a contra o Fundão, o governo tinha que dar calote em todo mundo?
Paulo: O Bolsonaro não vetou?
Carla: Vetou o aumento do Fundão, não vetou o Orçamento...
Paulo: Por exemplo, votasse contra o Orçamento se não tirasse esse aumento do Fundão!
Carla: Car*lho, velho, você é muito burro... Você não entendeu nada do que eu falei... P*ta que pariu. Eu expliquei todos os detalhes...
Paulo: Isso não é debatido no Congresso?
Carla: Meu Deus, você não entendeu nada do q eu falei. Eu n vou explicar de novo porque você é muito burro. P*ta que pariu, você é muito burro. Eu expliquei todos os detalhes. Eu vou mijar, fica você falando sozinho...
Paulo: Ela é uma deputada federal. Que ela aprova um orçamento com aumento de Fundão dizendo que ia destacar depois. Um Congresso que não discussão, em que os caras não discutem o Orçamento, que os caras não brigam para abaixar aquele fundão.... E ainda fala que eu sou burro. Ela ganha 30 pau por mês para votar um bagulho que vai ferrar a vida do brasileiro, e fala que eu sou burro. Populismo do mais fuleiro... Tá errado isso aí. Ela acha que eu tô errado porque ela é bolsonarista, governista e está lá ganhando dinheiro para caramba. É por isso q ela acha q eu tô errado, é lógico. Tô errado para uma pessoa que tá sentada em cima do dinheiro. Vai detonar o país com populismo de quinta categoria, com esse discursinho de que o pobre está precisando de ajuda. Ficou três anos fazendo motociata.

Política