PUBLICIDADE
Topo

Política

Haddad lidera com 33%; Tarcísio e Garcia empatam, diz Real Time em SP

Do UOL, em São Paulo

03/08/2022 09h03Atualizada em 03/08/2022 15h25

Real Time Big Data - Pesquisa confiável -  -

Pesquisa do Instituto Real Time Big Data realizada com entrevistas por telefone, contratada pela Record TV e divulgada hoje, mostra o ex-prefeito Fernando Haddad (PT) na liderança para o governo de São Paulo, com 33% das intenções de voto no principal cenário na pesquisa estimulada —quando o entrevistado recebe uma lista com os nomes dos pré-candidatos.

O ex-ministro Tarcísio de Freitas (Republicanos) e o governador Rodrigo Garcia (PSDB) aparecem com 20% e 19%, respectivamente. Como a margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos, os dois estão tecnicamente empatados.

O deputado federal Vinicius Poit (Novo) ficou com 2%, enquanto o ex-prefeito de Santana de Parnaíba Elvis Cezar (PDT) registrou 1%. Gabriel Colombo (PCB), Altino Júnior (PSTU) e o ex-ministro Abraham Weintraub (PMB) não pontuaram. Brancos e nulos foram 13%, e os que não sabem ou não responderam, 11%.

O levantamento não pode ser comparado ao anterior, publicado em julho, porque a lista de pré-candidatos mudou, com a saída de Felício Ramuth (PSD). O ex-prefeito de São José dos Campos deixou a corrida ao Palácio dos Bandeirantes para ser o vice na chapa de Tarcísio. No mês passado, Haddad tinha 34% das intenções de voto; Tarcísio, 20%; e Garcia, 16%.

Apesar de ainda constar na sondagem, Weintraub também não está mais na disputa pelo governo paulista. O ex-ministro do governo Jair Bolsonaro (PL) anunciou que vai concorrer a deputado federal.

O levantamento ouviu 2.000 eleitores paulistas por telefone entre 1º e 2 de agosto. O índice de confiança da pesquisa, segundo o instituto, é de 95%, e o custo foi de R$ 20.000. O registro junto ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) é SP-06273/2022.

Primeiro turno

Cenário 1

  • Fernando Haddad (PT): 33%
  • Tarcísio de Freitas (Republicanos): 20%
  • Rodrigo Garcia (PSDB): 19%
  • Vinícius Poit (Novo): 2%
  • Elvis Cezar (PDT): 1%
  • Gabriel Colombo (PCB): 0%
  • Altino Júnior (PSTU): 0%
  • Abraham Weintraub (PMB): 0%
  • Branco/nulo: 13%
  • Não sabe/não respondeu: 11%

Cenário 2

No cenário reduzido, com Haddad, Tarcísio e Garcia, o ex-prefeito de São Paulo tem 34% dos votos. O ex-ministro de Bolsonaro ficou com 22%, e o governador, 20%. Considerando a margem de erro, Tarcísio e Garcia estão tecnicamente empatados.

Em julho, Haddad tinha 35%; Tarcísio, 21%; e Garcia, 18%.

  • Fernando Haddad (PT): 34%
  • Tarcísio de Freitas (Republicanos): 22%
  • Rodrigo Garcia (PSDB): 20%
  • Branco/nulo: 13%
  • Não sabe/não respondeu: 11%

Pesquisa espontânea

Na pesquisa espontânea, quando os entrevistados não recebem uma lista prévia de pré-candidatos, Haddad tem 12% das intenções de voto; Tarcísio, 10%; e Garcia, 7%. Os três estão tecnicamente empatados dentro da margem.

O ex-governador Márcio França (PSB) também foi citado, mas ele não está mais na disputa e vai tentar uma vaga no Senado.

  • Fernando Haddad (PT): 12%
  • Tarcísio de Freitas (Republicanos): 10%
  • Rodrigo Garcia (PSDB): 7%
  • Márcio França (PSB): 1%
  • Outros: 2%
  • Branco/nulo: 20%
  • Não sabe/não respondeu: 48%

Segundo turno

A pesquisa também fez a simulação de três cenários para o segundo turno.

Cenário 1

Na disputa entre Haddad e Tarcísio, o petista venceria com 39% das intenções de voto, enquanto o candidato do Republicanos ficaria com 29%.

  • Fernando Haddad (PT): 39%
  • Tarcísio de Freitas (Republicanos): 29%
  • Branco/nulo: 17%
  • Não sabe/não respondeu: 15%

Cenário 2

Contra Garcia, Haddad sairia vencedor com 37%. O governador ficaria com 29%.

  • Fernando Haddad (PT): 37%
  • Rodrigo Garcia (PSDB): 29%
  • Branco/nulo: 18%
  • Não sabe/não respondeu: 16%

Cenário 3

No último cenário, a sondagem aponta empate técnico, dentro da margem de erro, entre Garcia e Tarcísio. O governador ficaria com 30%, e o ex-ministro, 29%.

  • Rodrigo Garcia (PSDB): 30%
  • Tarcísio de Freitas (Republicanos): 29%
  • Branco/nulo: 22%
  • Não sabe/não respondeu: 19%

Sobre o instituto

O Real Time Big Data foi fundado em 2015, tem sede em São Paulo e fez sua primeira pesquisa presidencial em 2018, sempre por telefone e com financiamento principal da TV Record.

Política