Conteúdo publicado há 4 meses

Professores pedem R$ 62 mi a Eduardo Bolsonaro por comparação a traficantes

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP) foi alvo de uma ação pública civil da Associação dos Professores da Universidade do Paraná (APUFPR), por ter comparado a classe a traficantes.

O que aconteceu:

A APUFPR entrou com uma ação civil pública contra Eduardo Bolsonaro após ele comparar professores a traficantes, em julho deste ano. Segundo a associação, "as ofensas proferidas pelo parlamentar veiculam estereótipos que reforçam abusivamente a discriminação e o preconceito contra as professoras e os professores".

A entidade pede que Eduardo pague R$ 20 mil a cada um dos mais de 3.100 integrantes em danos morais, totalizando mais de R$ 62 milhões. Além disso, querem que o congressista publique uma retratação pública com a classe.

Segundo o órgão, a fala de Eduardo "serviu apenas para estimular ainda mais o ódio na mente de pessoas costumeiramente convencidas a usar armas como forma de solução de conflitos (ou divergências) e contra 'ameaças' invisíveis".

A conduta do deputado coloca em risco a integridade física de todas as professoras e professores, ao incitar o preconceito e o ódio contra toda a categoria, instigando militantes radicalizados e armados a agirem e tratarem os docentes como "inimigos" das famílias brasileiras. No processo, a entidade também pede a responsabilização do Estado brasileiro, pela responsabilidade solidária em relação aos atos de um agente público que deveria respeitar as leis e os princípios constitucionais do país.
Associação dos Professores da Universidade do Paraná

O UOL entrou em contato com Eduardo Bolsonaro, mas não recebeu resposta até a publicação desta reportagem. O espaço segue aberto para manifestação.

Relembre o caso:

Em evento organizado pelo grupo "Pró Armas" em Brasília, Eduardo Bolsonaro comparou "professores doutrinadores" a traficantes de drogas. O ato defendia a flexibilização do porte e da posse de armas para cidadãos comuns.

"Não tem diferença de um professor doutrinador para um traficante de drogas que tenta sequestrar e levar os nossos filhos para o mundo do crime. Talvez até o professor doutrinador seja ainda pior"
Eduardo Bolsonaro, em discurso durante evento pró-armas

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes