'Não vamos romper nada', diz futura chanceler de Milei após convite a Lula

A futura chanceler argentina, Diana Mondino, disse que "o Brasil é o principal sócio da Argentina" e que Javier Milei não vai "romper nada", em referência às relações com o governo Lula.

As declarações foram dadas em entrevista ao jornal O Globo, após encontro com o ministro das Relações Exteriores brasileiro Mauro Vieira.

O que ela disse

Mondino disse que foi "armado um circo" em torno das opiniões do presidente eleito da Argentina a respeito de Lula. "Perdi muito tempo explicando que não era nada do que diziam, que o Brasil é o principal sócio da Argentina e que não vamos romper nada, armaram um circo", declarou a O Globo.

Ela também afirmou que foi criada uma "imagem errada" e que Milei nunca disse nada agressivo sobre Lula ou sobre o Brasil. "Milei nunca disse nada do que disseram que ele disse.

"Seria um prazer e uma honra contar com a presença do presidente brasileiro" na posse de Milei, declarou Mondino. No encontro com o chanceler brasileiro, ela entregou um convite informal de Milei para que Lula compareça à cerimônia.

O convite oficial deve ser enviado pela chancelaria argentina na semana que vem, informou a argentina. O evento ocorrerá no dia 10 de dezembro.

Milei é apoiador declarado de Jair Bolsonaro e convidou o ex-presidente brasileiro para sua posse. Durante a campanha eleitoral, ele fez ataques a Lula e disse que haverá um distanciamento do Mercosul.

O argentinose referiu ao petista como "ladrão", "comunista furioso" e "ex-presidiário". Na campanha, afirmou que, se eleito, não se reuniria com o presidente brasileiro por ele ser corrupto e comunista. Também acusou Lula de financiar a campanha de seu adversário, o peronista Sergio Massa.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes