Homenagem a Eduardo no berço do PT tem confusão após Bolsonaro ser xingado

Uma homenagem ao ex-presidente Jair Bolsonaro e ao deputado federal Eduardo Bolsonaro terminou em confusão na noite desta quinta-feira, em São Bernardo do Campo (SP).

O que aconteceu

Enquanto Eduardo discursava diante de centenas de apoiadores, um homem xingou o ex-presidente: "Seu pai é um genocida". Jair Bolsonaro não compareceu ao evento, pois está em Natal.

Os bolsonaristas passaram a xingar o opositor, que não foi identificado. O homem levou um tapa na cabeça enquanto era retirado do local.

Eles gritavam "arrebenta esse filha da p***" e "deixa eu pisar na cabeça dele". Nesse momento, policiais estavam imobilizando o homem, e um apoiador pediu calma para quem o ameaçava (veja no vídeo).

A reportagem do UOL foi até o local para onde o homem foi encaminhado, mas o acesso não foi permitido. Era uma sala no fundo do auditório, e apoiadores que usavam camisetas com o nome do vereador bolsonarista Paulo Chuchu (PRTB) impediram a entrada da reportagem.

Críticas e xingamentos ao Lula. Em seu discurso, Eduardo atacou o presidente. A plateia acompanhou, gritando "Lula ladrão".

São Bernardo é o berço político de Lula e do PT. No segundo turno da eleição presidencial, Lula ficou com 53,83% dos votos e Bolsonaro com 46,17%.

"Aqui estou me sentindo em casa. Não é a casa do Lula, não. Vamos ser sinceros, não é terra de cachaceiro. É terra de gente trabalhadora", discursou Eduardo Bolsonaro, em ataque ao petista.

Jair e Eduardo Bolsonaro receberam o título de cidadão de São Bernardo do Campo. A homenagem foi uma iniciativa do vereador Chuchu, que já foi assessor de Eduardo.

Continua após a publicidade
Eduardo Bolsonaro recebe título de cidadão de São Bernardo do Campo (SP)
Eduardo Bolsonaro recebe título de cidadão de São Bernardo do Campo (SP) Imagem: Ana Luiza Cardoso/UOL

Como foi o evento

A cerimônia para entrega do título foi realizada na Câmara Municipal, em um auditório com cerca de 400 lugares preenchidos, além do público em pé, com presença de Eduardo e apoiadores.

Na plateia, estavam apoiadores com a camisa da seleção brasileira, bandeiras do Brasil e pelo menos uma estrela de Davi, nas cores de Israel.

Havia crianças fardadas com roupas da polícia militar, da Rota, e do corpo de bombeiros. Algumas usam simulacros de armas, como revólver, fuzil e cassetete. Nas cinturas de duas foi possível ver algemas.

Elas fazem parte do grupo Tropinha de Elite, que reúne desde 2019, no Guarujá, crianças com idades entre 4 e 11 anos interessadas no universo da polícia, segundo o coordenador e fundador Adilson Pinheiro ou subtenente Adilson. Sobre os simulacros, disse que os pais, que também as acompanhavam no evento, deram autorização.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes