Topo

Dentistas fazem manifestação no Rio contra planos odontológicos

Felipe Martins

Do UOL, no Rio de Janeiro

25/10/2012 14h56Atualizada em 23/04/2015 19h00

Cerca de 200 cirurgiões dentistas fizeram nesta quinta-feira (25), pela manhã, uma manifestação nas escadarias da Câmara Municipal do Rio de Janeiro contra operadoras de planos odontológicos, segundo o CRO-RJ (Conselho regional de Odontologia do Rio de Janeiro). Os profissionais reclamam do baixo valor pago pelos procedimentos realizados.

De acordo com a organização, o movimento é nacional. Profissionais aproveitaram o Dia do Cirurgião-Dentista, comemorado hoje, para fazer a manifestação nos Estados.

O presidente do CRO-RJ, Afonso Fernandes Rocha, explicou os motivos do protesto: “Nós somos contra os honorários que estão nos pagando. Não é possível receber R$5 por uma consulta, R$10 por uma restauração, R$2,30 por uma radiografia. Isso é um absurdo”, afirmou.

Após assembleia em março, os cirurgiões-dentistas do Rio decidiram deixar de atender as primeiras consultas do grupo Rede Unna, união das operadoras Bradesco Dental, Odontoprev e outras marcas,  e as primeiras consultas do plano Amil Dental. Pacientes que já eram atendidos, diz o conselho, continuarão a receber atendimento normalmente. O CRO-RJ não soube dizer, no entanto, qual percentual de adesão à paralisação.

“Enquanto os cirurgiões-dentistas recebem esses honorários, as operadoras distribuem R$140 milhões na bolsa de valores aos acionistas porque tiveram muito lucro. Ninguém aguenta isso”, disse o presidente do CRO-RJ.

O ator e cirurgião-dentista Carlos Machado participou da manifestação: "Esta é uma profissão que amo. Acredito que a união da classe é fundamental para que tenhamos força. É preciso que se faça justiça com os cirurgiões-dentistas!"

Outro lado

Por meio de nota, o Sinog (Sindicato Nacional das Empresas de Odontologia de Grupo) informou que vem “estimulando suas associadas a atualizar seus contratos com os prestadores de serviços, integrantes da rede assistencial, contemplando as resoluções da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar)”.

O sindicato informou, ainda, que tem mantido reuniões periódicas com representantes da classe odontológica pra tratar de assuntos relevantes da relação cirurgião-operadoras.

A FenaSaúde (Federação Nacional de Saúde Suplementar), que representa 15 operadoras de plano de saúde, dentre elas a Bradesco, informou que não foi registrada, entre as associadas, insuficiência no atendimento aos beneficiários por conta da paralisação dos dentistas. 

A Fenasaúde diz, ainda, que as operadoras praticam reajustes regulares para os procedimentos e consultas feitos pelos profissionais, ressaltando que a negociação é feita diretamente entre as operadoras e os prestadores de serviços médicos.

Mais Notícias