Se alguém passa mal ao seu lado, você sabe como ajudar? Aprenda a socorrer

Maria Júlia Marques

Do UOL, em São Paulo

Pode parecer clichê, mas é sempre bom estar preparado para qualquer imprevisto. Quando o assunto é emergência de saúde, reações rápidas e noções básicas de primeiros socorros são decisivas na hora de salvar uma vida.

É claro que nem todo mundo vai ter a experiência de médicos e enfermeiros, contudo se vê alguém passando mal, você pode ajudar começando o socorro enquanto a ajuda especializada não chega.

Como agir em caso de parada cardiorrespiratória?

"Quando você encontra uma pessoa desacordada a primeira coisa que tem que fazer é se certificar de que ela realmente está inconsciente", afirma Priscila Biggi, coordenadora de primeiros socorros na Cruz Vermelha em São Paulo.

Tente chamá-la algumas vezes para ver se há resposta. Não teve reação? O próximo passo é confirmar se a pessoa está respirando. O jeito mais fácil é colocar a mão na região do tórax de quem passou mal e sentir se existe alguma movimentação. Tente também sentir se o coração da pessoa está batendo.

Caso não haja batimento ou respiração é uma parada cardiorrespiratória. Nesse caso, acione a emergência (192) imediatamente. Na sequência, será necessário começar a massagem cardíaca. 

Ajolhe-se ao lado da vítima, deixe a pessoa deitada em um local rígido. O ponto certo para começar a compressão é entre os dois mamilos, bem no centro do peito, um palmo abaixo das clavículas. 

Quando estiver com as mãos a postos comece a empurrar com força. É preciso se concentrar e manter o ritmo. "Você precisará fazer de 100 a 120 compressões por minuto e manter os movimentos sem intervalos por dois minutos. Depois confira se a pessoa voltou a respirar, se ela ainda estiver inconsciente volta a bombear por mais dois minutos, até a emergência chegar", explica Biggi.

É preciso que o tórax afunde cerca de seis centímetros para que exista uma ação efetiva no coração, de acordo com Luis Carlos Oliva, diretor do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) de São Paulo.

"Não tenha medo, se as mãos estiverem no lugar certo o movimento brusco não vai causar nenhum trauma. Mantenha até ter certeza absoluta que acordou", diz Oliva. "Se ela recuperar a consciência pare a massagem e deixe a vítima em repouso".

E quando a tontura aparece?

via GIPHY

A tontura e a vertigem deixam a pessoa instável e desorientada com uma falsa sensação de movimento. Para ajudá-la é importante fazer com que ela sente em uma cadeira ou em uma posição confortável, evite se mexer até sentir os movimentos com clareza.

Quem sentir vertigens deve procurar um médico para descobrir sua origem, podem estar relacionadas a crises de labirintite, por exemplo.

Desmaiou?

via GIPHY

Não adianta cheirar álcool ou dar tapinhas no rosto. Para fazer uma pessoa acordar de um desmaio o segredo está nas pernas.

Desmaiamos quando existe uma diminuição da oferta de oxigênio no cérebro, o que pode acontecer por diversos motivos. Quando algo não está normal no organismo, o cérebro faz você perder a consciência para tentar mandar sangue para os órgãos vitais - coração, pulmão, fígado e cérebro.

Por isso, para acordar uma pessoa demasiada você pode elevar as pernas dela em um ângulo de 90º. Deixando as pernas para cima por até cinco minutos, você devolve o sangue para a cabeça e estimula o despertar. Se não funciona, chame uma ambulância (192).

E em caso de convulsão?

via GIPHY

Quem tem convulsão passa por espasmos involuntários. Os movimentos podem assustar por serem intensos, mas auxiliar a vítima é simples.

Sua primeira atitude deve ser afastar os móveis e deitar a pessoa no chão. "Afaste tudo, afrouxe as roupas para manter o conforto e, para evitar arranhões, tire acessórios como anéis e correntes", afirma Biggi.

Feito isso, sente no chão, coloque as mãos ao lado da cabeça de quem está convulsionando, segurando com delicadeza para evitar fraturas. "Fique atento também para confirmar se a pessoa está conseguindo respirar sem dificuldade", aconselha Oliva.

Não há mais nada que possa ser feito, espere a convulsão acabar. "Dizem que temos que segurar a língua do paciente, mas isso não é verdade. Com os espasmos, se você colocar a mão na boca da pessoa pode acabar levando uma mordida", diz Biggi.

Assim que os espasmos pararem vire a pessoa de lado para que ela não se engasgue caso tenha sangue ou vômito na boca, ou se estiver espumando.

Se os espasmos demorem mais de cinco minutos é importante acionar a emergência. Além disso, se a vítima não souber a origem dos espasmos é necessário procurar um médico após a convulsão.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos