PUBLICIDADE
Topo

Primeira vítima do coronavírus em Israel era sobrevivente do Holocausto

Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel, determinou fechamento de fronteiras do país - Oded Balilty/POOL/AFP
Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel, determinou fechamento de fronteiras do país Imagem: Oded Balilty/POOL/AFP

Do UOL, em São Paulo

24/03/2020 13h02

Israel lamentou no domingo (22) a sua primeira morte devido ao surto do novo coronavírus. E, além da gravidade da pandemia, o país ainda perdeu um sobrevivente do Holocausto.

Segundo o Washington Post, Aryeh Even foi a primeira vítima da covid-19 em Israel. Ele tinha 80 anos, e sua morte já causou mudanças nos protocolos do país.

Rituais funerários foram alterados para evitar a disseminação da doença. O funeral foi limitado a 20 pessoas, tiveram de manter distância umas das outras e medidas sanitárias foram tomadas em relação ao caixão. A enfermeira que cuidou de Even chegou a se desculpar, já que seu corpo não pôde ser lavado da forma que se faz nos rituais tradicionais.

"Lamentamos que ele tenha morrido nestes dias, em que sua família ficou privada de estar ao seu lado", disse a família, em um comunicado. Even teve 4 filhos e 18 netos. "Ele foi um homem amado, devotado à família e forte até o fim."

Israel registrou 945 casos oficiais do coronavírus. Even foi o primeiro a morrer, mas há outras 15 pessoas em estado crítico. Por conta disso, as fronteiras foram fechadas e a população, de 8,7 milhões de pessoas, recebeu recomendação para não sair de casa.

Even nasceu em Budapest. Em 1941, seu pai foi levado para um campo de concentração na Hungria. Even, sua mãe e seu irmão foram retirados de casa e tiveram de buscar auxílio e proteção de diplomatas suíços. O pai acabou morto e o ainda jovem foi morar em Israel, com auxílio de imigrantes judeus, onde foi trabalhar na construção civil.

Coronavírus