PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Coronavírus: Brasil tem primeiro caso de índio infectado por covid-19

Anúncio foi feito pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas - Facebook/Reprodução
Anúncio foi feito pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas Imagem: Facebook/Reprodução

Aliny Gama

Colaboração para o UOL

01/04/2020 14h13Atualizada em 01/04/2020 18h44

O Amazonas registrou o primeiro caso de um índio que foi infectado pelo coronavírus e contraiu a covid-19 no Brasil. A paciente é uma índia que pegou a doença por transmissão comunitária. A divulgação do resultado positivo aconteceu hoje pela FVS-AM (Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas) e foi confirmada pelo Ministério da Saúde. Há uma divergência na idade da paciente: segundo a FVS, ela tem 19 anos. Já o Ministério informou que a jovem tem 20 anos.

São mais de 800 mil índios aldeados presentes em todo o Brasil, de acordo com dados do Ministério da Saúde.

A índia é da etnia Kokama e mora na aldeia São José, no município de Santo Antônio do Içá, a 880 km de Manaus, na região sudoeste, e a aproximadamente 250 km da fronteira do Brasil com a Colômbia. Segundo o ministério, ela atua como AIS (Agente Indígena de Saúde) na região de Santo Antônio do Içá, no Distrito Sanitário Especial Indígena Alto Rio Solimões.

A indígena está na aldeia, isolada, e recebendo cuidados. O estado de saúde dela é estável. "Até o momento, a profissional encontra-se sem quaisquer sintomas da infecção. Seus familiares também se encontram assistidos e em isolamento", informou o ministério.

Segundo a FVS, a índia contraiu coronavírus em contato com um médico que atende a aldeia e estava com o vírus, mas sem apresentar sintomas da covid-19 quando prestou atendimento aos índios. As 58 pessoas que tiveram contato com a profissional se submeteram ao teste para coronavírus e três deram positivo - a índia e dois não indígenas. Os exames estão sendo enviados de avião para o Lacen (Laboratório Central) em Manaus.

Os números de pessoas que fizeram o teste para covid-19 divulgados pelo Ministério da Saúde são divergentes dos informados pela FVS. Segundo o ministério, 27 pessoas se submeteram ao teste e 26 deram negativo. Já a FVS afirma que foram 58 pessoas e uma deu positivo.

"A profissional é uma das pessoas que tiveram contato com o médico que havia sido diagnosticado com a doença após retornar de férias [ele esteve anteriormente no Paraná e em Santa Catarina]. Desde o dia 25 de março, o médico e todas as pessoas contatadas por ele, incluindo-se 12 pacientes indígenas e 15 integrantes da equipe de saúde estão em isolamento e sendo assistidos pela Equipe Multidisciplinar de Saúde Indígena do DSEI Alto Solimões. Dos 27 testes feitos, apenas a AIS testou positivo para a covid-19", informou o ministério.

Ao notar os sintomas e confirmar o teste positivo para covid-19, o médico informou ao Dsei (Distrito Sanitário Especial Indígena do Amazonas) sobre a infecção e, segundo a FVS, imediatamente, equipes foram até a aldeia para fazer a testagem nos moradores.

Casos no Amazonas

O Amazonas tem 200 casos oficiais covid-19, de acordo com o último boletim epidemiológico da FVS, divulgado nesta tarde. Dessas pessoas, 31 delas já deixaram o período de transmissão, ou seja, encerraram o isolamento domiciliar (quarentena). Três mortes foram registradas e outras três estão em investigação.

Dos 200 casos positivos, 179 são moradores de Manaus e 21 de residentes do interior do estado. São eles: Manacapuru (6), Itacoatiara (4), Santo Antônio do Içá (4) e Parintins (3). Os municípios de Careiro da Várzea, Anori, Boca do Acre e Novo Airão têm um caso, cada um.

Ao todo, 138 pacientes estão em isolamento domiciliar, com sintomas leves. Outros 28 estão internados em hospitais, tanto da rede pública quanto privada.

A diretora-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), Rosemary Costa Pinto, afirmou que as três vítimas fatais da covid-19 no Amazonas apresentavam comorbidades como hipertensão, diabetes, obesidade e problemas respiratórios. A terceira vítima não chegou a ser internada. "Chegou ao Serviço de Pronto Atendimento do Coroado, zona leste, em Manaus, na segunda-feira (30), em parada cardiorrespiratória não reagindo às manobras de reanimação. Nesta terça-feira, o exame deu positivo para covid-19", informou a fundação.

"Daí a necessidade de que temos que focar alertas para pessoas que tenham diabetes, hipertensão, obesidade, asma, outros problemas respiratórios, quem esteja em tratamento de câncer, baixa imunidade, cardiopata. Essas pessoas, se elas sentirem sintomas de resfriado, gripe e principalmente se tiverem febre e dificuldade para respirar, elas não devem tardar em buscar atendimento", alertou Pinto.

Coronavírus