PUBLICIDADE
Topo

Mandetta anuncia testes com presença de anticorpos para covid-19 no RS

Cientista mostra tubo contendo anticorpos para covid-19 - THOMAS PETER
Cientista mostra tubo contendo anticorpos para covid-19 Imagem: THOMAS PETER

Do UOL, em São Paulo

14/04/2020 17h44

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, anunciou hoje o início de uma pesquisa no Rio Grande do Sul para testar anticorpos de coronavírus nos brasileiros, chamada inquérito epidemiológico. O objetivo, conforme explicação do ministro, é entender a velocidade com que o organismo produz anticorpos para a covid-19.

"(É necessário) Para termos a consciência de que estamos nos auto-vacinando", disse Mandetta. "Temos muita gente assintomática que ganha anticorpos, tem gente com forma leve e nem busca atendimento, e que é corona, uma forma tão leve que apresenta uma pequena coriza", continuou.

A identificação de como atuam os anticorpos pode facilitar na busca de formas de tratamento da doença. Mandetta também alertou sobre casos graves de manifestação da covid-19, que demandam internação: "Temos as formas intensas, as formas graves, as formas críticas. É um somatório disso que vai nos dar imunidade".

O estudo é coordenado pelo Centro de Epidemiologia da Universidade Federal de Pelotas (Ufpel). O ministro divulgou que a pesquisa segue em fase final de questionários e que na próxima semana terá início a fase prática da pesquisa, que deve se encerrar até 14 de maio.

"Esse vírus está escrevendo a história natural da doença", declarou Mandetta.

O Ministério da Saúde anunciou hoje que subiu para 1.532 o número de mortes pelo novo coronavírus no Brasil — são 204 óbitos confirmados nas últimas 24 horas. Até ontem, eram 1.328 mortes no total.

Este é o maior número de mortes confirmadas pelo Ministério da Saúde em um período de 24 horas. O recorde anterior no Brasil era de 141 mortes.

No total, são 25.262 casos oficiais no país, segundo o governo, com 1.832 casos novos de ontem para hoje. A pasta do governo não informa números de pacientes curados da covid-19.

Coronavírus