PUBLICIDADE
Topo

São Paulo anuncia obrigação de uso de máscara no transporte público

Felipe Pereira

Do UOL, em São Paulo

29/04/2020 12h48

Com ocupação de leitos de UTI em 85% na rede estadual e explosão de 313% na busca por atendimento de covid-19 na capital, o governo paulista determinou a obrigação de uso de máscaras no transporte público. A medida entra em vigor a partir de 4 de maio, próxima segunda-feira, e vale também para táxi e carros solicitados por meio de aplicativos.

A medida foi anunciada pelo governador João Doria em entrevista coletiva e será publicada amanhã no Diário Oficial do Estado, acompanhada por um decreto com o mesmo conteúdo por parte da prefeitura da capital. Doria espera que outras cidades adotem a mesma atuação no combate ao coronavírus.

A medida não é nova e Guarulhos obriga o uso de máscaras no transporte desde a última segunda-feira. Mas agora a determinação é respaldada por um decreto estadual. A fiscalização será feita por órgãos municipais e estaduais. As empresas receberão primeiro uma advertência e depois, multadas.

O valor na capital será de R$ 3,3 mil por ônibus em que for flagrada a infração, revelou o prefeito Bruno Covas (PSDB). Ele está preocupado com o agravamento da crise e diz que exige novas medidas como o uso de máscara, algo que ocorre em países asiáticos e europeus. Estudos apontam que quando duas pessoas usam máscara o risco de contaminação cai para 1,5%.

O secretário estadual de Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, afirmou que podem ser usadas máscaras de panos e máscaras caseiras. Ele acrescentou que há uma solicitação para evitar conversas nos vagões de metro, trens e ônibus para não disseminar o coronavírus. Em relação aos táxis e aplicativos será proibido pegar e transportar pessoas sem máscara. A alternativa é o motorista fornecer a máscara.

A medida chega em um momento que o governador afirmou que o estado está entrando na fase mais aguda da pandemia. Os hospitais começam a ficar lotados e pessoas aguardam horas na fila. Um dado que reflete a explosão de casos é que até 23 de abril a cidade de São Paulo atendia 812 pessoas com suspeita de covid-19 por dia. Nos três dias seguintes o número quadruplicou para 3.355 atendimentos dia.

Coordenador do Centro de Contingência ao Coronavírus em São Paulo, o infectologista David Uip declarou que existe uma aceleração nos contágios de covid-19. Ele acrescentou que é inegável a interiorização da doença. Dados da Secretaria estadual de Saúde revelam que um terço das mortes e dos casos confirmados ocorre fora da capital.

Coronavírus