PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

SP: falta de insumo faz laboratório ter 50% a menos de testes de covid-19

Segundo professor, há falta de material sintético utilizado na ponta do Swab; laboratório recebeu só 49 amostras até agora - iStock
Segundo professor, há falta de material sintético utilizado na ponta do Swab; laboratório recebeu só 49 amostras até agora Imagem: iStock

Do UOL, em São Paulo

05/05/2020 10h42Atualizada em 05/05/2020 12h37

A falta de um material importante para coleta e realização de testes de pacientes com sintomas do novo coronavírus diminuiu em 50% o volume esperado de testes em um laboratório da USP.

Até agora, o laboratório de biologia molecular aplicada e sorologia da Faculdade de Medicina e Zootecnia da USP recebeu 49 amostras de pacientes vindas de hospitais públicos da cidade de São Paulo — desde o dia 23 de abril. A capacidade é de 100 testes moleculares diários.

Segundo o professor Paulo Brandão, que coordena o laboratório, a redução foi causada pela falta de um material sintético que precisa estar na ponta do swab para absorver as secreções. "Eu liguei para uma das fábricas aqui no Brasil e eles disseram que pararam a produção e não sabiam quando voltariam porque faltava a matéria-prima, que vem da China e também da Itália", disse em entrevista ao Jornal da USP.

O laboratório funciona em parceria com o Centro de Controle de Zoonoses da Prefeitura de São Paulo e integra uma rede da universidade voltada ao combate a pandemia.

A técnica em tempo real utilizada pelo laboratório permite analisar a quantidade do vírus na amostra, desde a coleta até a extração do RNA do vírus após a purificação de uma solução salina em que ele foi depositado, em apenas 5 horas — na técnica tradicional, o processo levaria 12 horas.

"O equipamento capta isso com um sensor e indica o número de cópias virais existentes. A cada novo ciclo de análise, ele vai aumentando e vai subindo uma curva. Então ele é muito mais rápido e muito mais automatizado", disse o professor.

Uma possível saída seria substituir o swab com ponta de algodão estéril, mas a decisão teria que ser analisada por essa rede — e investigar se o material não iria interferir no resultado dos testes.

Coronavírus