PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Esse conteúdo é antigo

Covas diz que flexibilização do isolamento depende de ajuda da população

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB-SP), durante coletiva de imprensa sobre a crise do coronavírus - Bruno Escolastico/Photopress/Estadão Conteúdo
O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB-SP), durante coletiva de imprensa sobre a crise do coronavírus Imagem: Bruno Escolastico/Photopress/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

10/05/2020 12h31

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), disse hoje que uma possível flexibilização da quarentena só será possível caso a população ajude e respeite o isolamento social.

Questionado sobre a possibilidade de o novo rodízio de carros, que entra em vigor amanhã, gerar aglomerações no transporte público, o político tucano disse que tudo depende da colaboração dos paulistanos.

"Se todo mundo que puder ficar em casa ficar, isso não vai acontecer. No começo da quarentena, que tínhamos as mesmas restrições, estávamos com 80% menos passageiros nos ônibus, hoje temos apenas 67 ou 68% menos passageiros, tínhamos um isolamento de 58%, 57% e hoje 47%", disse à GloboNews. "Se as pessoas voltarem a respeitar a questão de ficar em casa e voltarmos a ter 55% ou 60% de isolamento, não tem por que ter rodízio. Quanto mais as pessoas participarem, mais podemos pensar em flexibilização. Quanto menos, temos que endurecer com medidas difíceis."

Covas voltou a dizer que não existe um prazo exato para uma flexibilização. O político também disse que a ideia é evitar o lockdown, medida mais rígida de isolamento.

Todo dia temos reunião com o secretário de Saúde e vamos avaliando os números. Chegamos a estudar outros tipos de rodízio e achamos que, com esse, podemos voltar aos índices que tínhamos no começo. Lockdown é sempre o mais difícil. Não adianta só a cidade de São Paulo adotar. As pessoas moram em São Caetano, em Barueri e passam por São Paulo", afirmou.

Rodízio entra em vigor amanhã

A partir de amanhã, os veículos estarão liberados para trafegar pela maior cidade do país dia sim, dia não, de acordo com o final de sua placa. Só haverá exceção no domingo 31 de maio, quando o rodízio não será aplicado.

A restrição de tráfego terá validade todos os dias, inclusive finais de semana e feriados. Além disso, ela irá durar 24 horas por dia.

A medida, relacionada com o combate ao novo coronavírus, tem como objetivo aumentar a taxa de isolamento social na cidade. Por essa razão, esse novo modelo de rodízio ficará em vigor por tempo indeterminado.

Coronavírus