PUBLICIDADE
Topo

Abatedouro no Paraná registra mais casos de coronavírus que cidade inteira

Nem todos os colaboradores do abetedouro são residentes de Cianorte - Divulgação/Avenorte
Nem todos os colaboradores do abetedouro são residentes de Cianorte Imagem: Divulgação/Avenorte

Abinoan Santiago

Colaboração para o UOL, em Ponta Grossa

04/06/2020 17h16

Um abatedouro de aves de Cianorte, a 508 quilômetros de Curitiba, registrou 93 casos do novo conoravírus entre seus funcionários e afastou outros 800 que tiveram contato com os contaminados. A quantidade é superior à contabilizada até ontem na cidade, que tem 82 mil habitantes, 90 casos confirmados e um óbito por covid-19.

A quantidade de funcionários contaminados na empresa foi confirmada pela prefeitura. Como nem todos os colaboradores diagnosticados com covid-19 são residentes de Cianorte, o número no abatedouro superou ao da cidade, informou. Dos 90 casos do município, 40 são funcionários do frigorífico de aves.

Em uma transmissão ao vivo sobre o caso, o prefeito de Cianorte, Claudemir Bongiorno (MDB), explicou que o afastamento dos 800 funcionários se deve à necessidade de manter o abatedouro aberto, mesmo com uma produção menor que o período anterior à pandemia do novo coronavírus. Em condições normais, a empresa tem capacidade de abater 216 mil aves por dia.

O prefeito, que é um dos sócios do abatedouro, ainda confirmou que nenhum dos 93 funcionários morreram da doença. Ao todo, o frigorífico tem colaboradores residentes em 12 municípios da região Noroeste do Paraná.

"Se alguém estiver se perguntando se a Avenorte tomou alguma precaução, afastamos 800 funcionários. Todos aqueles que tiveram contato com algum contaminado a empresa imediatamente se afastou", ratificou.

Bongiorno acrescentou que para atender aos 300 granjeiros que dependem do abatedouro, houve a contratação de 100 novos funcionários para cobrir a carência deixada pelos que fazem parte do grupo de risco.

"Contratamos para suprir os funcionários do grupo de risco, que são os acima de 60 anos e com comorbidades. Se parasse a empresa, iria demorar sete meses para retomar o abate", comentou.

Cianorte está com 30% da capacidade hospitalar utilizada por doentes com covid-19, calcula o prefeito. A cidade foi uma das primeiras a reabrir o comércio no Paraná. As restrições duraram apenas 16 dias, com a retomada das atividades em 8 de abril. Na ocasião, eram 13 casos confirmados.

Em nota, a Avenorte afirmou que "quando informados sobre novos casos positivos cumprimos todos os protocolos recomendados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e secretaria de saúde".

"Todas as medidas de prevenção estão sendo realizadas para que a empresa continue operando de forma segura e não haja risco para seus colaboradores, prestadores de serviços, bem como seus familiares", garantiu o abatedouro complementando que "já eram praticadas medidas sanitárias rigorosas, independente do cenário atual da pandemia".

Coronavírus