PUBLICIDADE
Topo

Covid-19: Não há evidência de eficácia da cloroquina, diz médico de SP

De acordo com Paulo Menezes,que coordena o Centro de Contingência do Coronavírus em SP, administração da substância no estado depende de decisão de médico e paciente; diagnosticado com novo coronavírus, Jair Bolsonaro tem tomado o remédio - Reprodução
De acordo com Paulo Menezes,que coordena o Centro de Contingência do Coronavírus em SP, administração da substância no estado depende de decisão de médico e paciente; diagnosticado com novo coronavírus, Jair Bolsonaro tem tomado o remédio Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

07/07/2020 13h45

O médico Paulo Menezes, coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus em São Paulo, viu com naturalidade o uso de cloroquina por parte do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido) para a covid-19. Bolsonaro informou hoje ter recebido o diagnóstico positivo para o novo coronavírus.

Em entrevista coletiva, Menezes lembrou que a substância não tem efeito comprovado contra o novo coronavírus. Mesmo assim, reforçou o pacto em São Paulo para que a decisão de tomar o remédio seja de médicos e pacientes.

"Nós já colocamos aqui, por diversas vezes, que não há, internacionalmente, evidência de efetividade de uso de cloroquina, especialmente em casos de covid-19 mais leves", disse.

"No entanto, a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, pactuada com os municípios, tem se posicionado de que é possivel a prescrição da cloroquina a critério do médico ou do paciente. Pode ser uma escolha do médico ou do paciente. Nós mantemos essa posição", completou.

Em entrevista à TV Brasil, Bolsonaro reconheceu a falta de aval científico para a hidroxicloroquina contra o novo coronavírus, mas defendeu o uso.

"Sei que não tenho comprovação científica, mas a eficácia da hidroxicloroquina tem aparecido", disse o presidente. "Eu tive um mal-estar, se tivesse tomado a hidroxicloroquina de forma preventiva, eu estaria sem apresentar reação", acrescentou.

Coronavírus