PUBLICIDADE
Topo

Bolsonaro faz live sozinho e volta a recomendar hidroxicloroquina

Do UOL, em São Paulo

09/07/2020 19h15Atualizada em 09/07/2020 23h24

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que recentemente disse ter sido infectado pelo novo coronavírus, apareceu sozinho e sem máscara na sua live semanal transmitida via redes sociais. Ele voltou a recomendar o uso da hidroxicloroquina para tratar a covid-19, ainda que não exista comprovação científica de sua eficácia.

"Por volta das 17h [de ontem], tomei um comprimido de cloroquina. Recomendo que você faça a mesma coisa. Sempre orientado pelo médico. Amanhã tomarei mais um. Deixo bem claro para vocês, é um testemunho meu: eu tomei e deu muito certo, estou muito bem", afirmou o presidente.

Diferentemente do usual, quando leva convidados à live, Bolsonaro aparece sozinho no vídeo. O presidente afirma: "estou sozinho hoje, tendo em vista estar infectado pelo vírus. Não tem ninguém aqui na sala, a dez metros de distância tem um cara na sala, então não tem problema de estar contaminando ninguém aqui". Durante a transmissão, é possível ouvir pelo menos mais uma voz, de um homem que assessora Bolsonaro.

O presidente reconheceu que a eficácia da hidroxicloroquina não tem comprovação científica, mas citou um suposto caso ocorrido durante a Guerra do Pacífico (1879-1883), onde soldados teriam usado água de coco em vez de sangue para fazer transfusões.

"Sabemos que nenhum destes remédios tem comprovação científica. Mas é como na Guerra do Pacífico: o soldado chegava ferido, sangrando, precisando de uma transfusão e não tinha sangue. Começaram a injetar água de coco na veia do soldado que havia perdido muito sangue. E deu certo! Se tivessem esperado comprovação científica, quantos teriam morrido naquela época?", questionou.

Sem citar fontes, ele ainda disse ter relatos de "centenas "centenas e centenas" de pessoas que foram tratadas com a hidroxicloroquina e se curaram da covid-19. "Não fiquem querendo proibir as pessoas que porventura queiram tomar, uma vez contaminadas, e depois de uma recomendação médica o façam", pediu.

Anteontem, a OMS (Organização Mundial da Saúde) reafirmou que a substância é ineficaz no tratamento da covid-19. Soumya Swaminathan, cientista-chefe do órgão, explicou o motivo de os ensaios com a hidroxicloroquina terem sido suspensos.

"Todo nosso trabalho faz parte de um processo bem estabelecido, claro que estamos melhorando este processo. Fazemos uma revisão sistemática das evidências e isso demora, pois temos um grande número de estudos. Interrompemos o ensaio da hidroxicloroquina pela segurança, já que não podemos colocar a vida das pessoas em risco. Temos evidências suficientes para saber que não há nenhum impacto para pacientes hospitalizados com covid-19", disse ela.

Coronavírus