PUBLICIDADE
Topo

'Sobrou para quem está do meu lado', diz Bolsonaro sobre vetos do Facebook

Do UOL, em São Paulo

09/07/2020 20h22Atualizada em 09/07/2020 23h15

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) criticou hoje a suspensão de perfis e páginas do Facebook ligados à sua família e a deputados do PSL. Ele argumenta que a decisão da rede social — que, vale dizer, não atinge só o Brasil — prejudica apenas as pessoas que estão ao seu lado.

"No Brasil, sobrou para quem? Para quem está do meu lado, para quem é simpático à minha pessoa. A esquerda fica posando de moralista, propagadores da verdade etc., [mas mantém] páginas das mais variadas possíveis. No dia da facada: 'Adélio Bispo foi incompetente ou distraído?'. A página desse cara aqui não sofreu nada", disse o presidente, durante sua live semanal.

"Ninguém fala em derrubar essas páginas, e eu não estou pedindo para derrubar página de ninguém", completou.

Bolsonaro também falou em "perseguição" contra o seu governo. "Tentam no tapetão, o tempo todo, derrubar a chapa Bolsonaro-Mourão, mas não apresentam uma prova sequer", comentou.

Ele disse que, em casa, está sempre com a televisão ligada e, por isso, sabe que a "onda" agora é dizer que as páginas ligadas à família Bolsonaro promovem ódio. O presidente negou que isso seja verdade e desafiou os veículos jornalísticos a apontarem "um texto seu de ódio".

"Eu desafio essa imprensa, em especial televisões, que ficam dando espaço para isso. Me apontem um texto meu de ódio, ou dessas pessoas que estão do meu lado. Aponte uma imagem minha de ódio, no meu Facebook, no dos meus filhos... Não tem nada, é o tempo todo acusando de ódio", indignou-se.

Acusação contra o PT

O presidente também negou que tenha mentido durante a campanha eleitoral de 2018, argumentando que não teria razões para fazê-lo, e acusou o PT de "fazer fake news" contra ele.

"O que que eu tinha de mentir naquele momento?", questionou. "O PT fez fake news contra a minha pessoa. Lembra da menina que teve a suástica rabiscada no abdômen? Depois a perícia chegou à conclusão de que ela mesma fez aquilo ou consentiu que terceiros fizessem."

Política